30 de abr de 2013

We're the best of friends - Capítulo 05



A semana não foi das melhores,Justin estava estranho,distante.No refeitório ele já não se sentava em nossa mesa mais,ficava apenas nos encarando sério.Mike por outro lado se revelava uma pessoa cada vez mais simpática,tínhamos nos tornado ótimos amigos,ele me fazia rir e eu me sentia bem perto dele.
Era sexta feira,a aula já tinha terminado e eu estava levando meus livros pro meu armário.
-Oi Ali. –Justin apareceu do nada e me deu um beijo na bochecha.
-Olha só quem apareceu.Achei até que tinha esquecido de mim.
-Impossível.Vou dar uma festa lá em casa hoje.Te espero lá?
-Claro.Preciso me distrair, a semana foi um pouco tensa.
Percebi que Justin estava me encarando com uma expressão engraçada.
-Que foi Justin? –perguntei estranhando.
-Posso almoçar na sua casa?Não tem ninguém lá em casa hoje e eu não quero comer na rua.
-Precisa pedir?Anda logo.
Fechei a porta do meu armário e segui com Justin até meu carro,hoje Trisha não iria embora comigo,ela disse que tinha assuntos pra resolver,não entrei em detalhes,mas acho que ela iria se encontrar com Tyler,os dois andam muito juntos ultimamente.Cheguei em casa e almocei com Justin.Não falamos muito,ficamos apenas nos encarando,o que era estranho já que sempre tínhamos algo pra falar.
-Por que você ta tão distante. –perguntei,fazendo Justin olhar nos meus olhos.
-Você só quer saber do Mike agora,achei melhor dar espaço pra vocês dois. –ele disse ríspido.
-Justin não começa,foi você quem se afastou.Você nem tentou conhecê-lo.Ele é uma ótima pessoa,vocês provavelmente seriam amigos.Assim como eu e ele nos tornamos.
-Então vocês são só amigos? –ele perguntou me olhando.
-O que mais seríamos?
Justin não respondeu,deu apenas um sorriso de lado.O que eu achei estranho.Será que ele estava com ciúmes de Mike?Não,deve ser coisa da  minha cabeça.Não vou me iludir,Justin me vê como uma irmã mais nova,talvez estivesse preocupado de Mike ser algum galinha,o que era um tanto irônico vindo de Justin.
-Senti sua falta. –Justin disse me despertando dos meus pensamentos.
-Eu também Justin. –sorri.

-Você é muito ruim,vai perder de novo. –Justin disse com ar superior.
-Acho que não. –disse dando o golpe final e vencendo o jogo.
-Desde quando você consegue me vencer? –ele perguntou incrédulo.
-Tenho treinado. –mandei um beijo no ar e me levantei para desligar o vídeo game.
-Preciso ir Ali.Tenho que organizar a festa.Te vejo mais tarde. –ele me deu um beijo na bochecha e eu o acompanhei até a porta.
Passei o resto da tarde vendo TV,quando eram cerca de 17:00 hrs meu celular tocou.
-Oi Mike.
-Oi Ali.Eu tava pensando,ta afim de sair comigo hoje?
-Na verdade, eu ia na festa do Justin hoje.
-Tudo bem,fica pra próxima então. –ele disse com ar desanimado.
-Vem comigo pra festa.
-Será que Justin não vai achar ruim.
-Relaxa.Me pega aqui em casa às 20:00 hrs?
-Claro.
-Então te vejo mais tarde,beijo.
-Beijo Ali.
Quando eram 18:30 hrs eu fui tomar meu banho.Coloquei uma roupa arrumada,porém nada demais.Fiz uma maquiagem leve e deixei meus cabelos soltos.No horário combinado escutei a buzina de Mike.Quando abri a porta me deparei com ele encostado no carro me olhando de forma extremamente sexy.Depois de me elogiar,ele abriu a porta do carro pra mim e seguimos em direção à casa de Justin.Chegando lá me deparei com uma casa cheia de jovens,a musica estava alta e todos estavam animados.Encontrei Trisha aos beijos com Tyler,assim que se separaram e ela me viu,deu apenas um sorriso malandro.
-Ia me contar quando?Esperei a semana inteira. –perguntei a ela.
-Eu tava vendo o que ia rolar,não é nada sério.A gente só ta se curtindo. –ela sorriu.
-Amiga o Tyler é diferente,você sabe que não pode só se divertir com ele igual faz com os outros.Eu acho que ele gosta de você.
-Eu sei amiga.Mas,vamos com calma. –ela piscou. –Mas me conta,e você e o Mike?Ele ta um gato hoje.
-Eu sei,ele é lindo.Mas você sabe que eu só tenho olhos pro Justin.
-Eu sei.Mas ainda acho que você devia tirar uma casquinha do Mike. –ela sorriu. –Anda, vem dançar.
Ela me puxou para a pista de dança,onde encontramos Mike e Tyler,ficamos dançando juntos até que Justin apareceu e me puxou pra dançar com ele.
-Trouxe seu amigo. –ele disse perto do meu ouvido,já que a musica estava alta.Involuntariamente me arrepiei.
-Algum problema?
-Nenhum. –ele sorriu.
Ficamos dançando juntos e percebi que Megan nos observava de longe,sua expressão estava seria e ela parecia furiosa.Depois de um tempo dançando com Justin me separei dele e fui até a cozinha,eu precisava beber algo,estava com sede.
-Olha quem está aqui. –ouvi a voz fina de Megan.
-O que você quer? –perguntei sem paciência.
-Sabe,eu tenho pena de você Alison.Eu vejo a forma como olha pra Justin,ele é um tolo se ainda não percebeu que você gosta dele.Ou então ele até já percebeu e se faz de bobo,por pena de dizer a você que ele prefere a mim.
-Querida,você bebeu demais.Quanta bobagem você ta falando. –disse tentando não parecer nervosa com o ela falava.
-Não tente negar Ali.Eu imagino o quanto deve ser ruim,ter Justin tão perto e não poder fazer nada.Porque no fim das contas,sou eu quem ele procura,é a minha boca que ele beija,é o meu corpo que ele deseja.
-Por que está me dizendo isso. –tentei não gaguejar.
-Por que eu quero que você seja feliz.Você devia desistir de Justin.Ele não está interessado querida.
Deixei meu copo na pia e saí dali bufando.Quem ela pensa que é?Confesso que as palavras dela me atingiram,mas eu não me deixaria abater.Voltei para onde as pessoas dançavam a procura de Mike,afinal ele tinha ido a festa comigo.Fiquei procurando por ele e vi Justin encostado em um canto,fiquei o observando e então vi Megan se aproximar dele,ela olhou em minha direção e então o beijou.Eu quis sair correndo naquele momento,era pra ser eu ali,não ela.
-Ali,eu estava te procurando. –ouvi uma voz atrás de mim e quando me virei vi que era Mike.
-Eu também. –disse isso e o beijei.No começo ele se assustou um pouco mas depois colocou suas mãos em minha cintura e me puxou pra mais perto dele.
Quando terminamos o beijo olhei em volta e percebi que algumas pessoas estavam nos assistindo.Algumas meninas me olhavam com ódio,algumas pessoas gritavam.Pude ver Trisha animada,ela piscou pra mim.E então vi Justin,com Megan pendurada em seu braço,tentei decifrar o que ele estava pensando mas seu rosto não demonstrava expressão alguma.

                                                                 ...

Oi minhas lindezas,como vocês estão? Eu to tão feliz que vocês estão gostando da minha história,eu fico aqui quebrando a cabeça pensando no que vocês vão gostar e ver esses comentários me dão cada vez mais ânimo pra escrever.Muito obrigada de coração pelos comentários.
Mas então,amanhã feriadão..Vão aprontar o que?Me contem.
Até o próximo capítulo meus amores,continuem comentando muitoooo. xoxo

ps. genteee vou ganhar um irmãozinho,olha que coisa mais fofa,vou ser pouco coruja né,haha    

28 de abr de 2013

Lego House - Capítulo 2 - Mãe.


Kathy P.O.V 


 Não era nada diferente de como eu pensei que fosse. Quero dizer, tudo parecia perfeito quando eu era criança por exemplo, e agora eu percebi como o mundo é diferente do que eu pensava ser é algo bem complicado. Também percebi como eu fiquei ligada a Jazzy e Jaxon, eles só estavam no seu primeiro dia longe de mim e mesmo assim já estavam fazendo falta, incrível como eu me apeguei tão rápido a eles dois, muito rápido mesmo. A gente ainda estava em Setembro mais os alunos já estavam pensando na formatura, nas férias, isso é tão idiota porque a única coisa sobre a qual eu estava pensando desde que tinha chegado naquela sala era que o sinal tocasse e eu pudesse sair logo desse inferno. 

Subitamente falando, o sinal tocou. 

 Eu misto de alívio e surpresa invadiu meu corpo. Juntei meu material e sai daquela sala rapidamente, eu podia tentar enganar todo mundo mais tava na cara que eu não ia conseguir me adaptar pela segunda vez esse ano, toda escola tem regras diferentes, estruturas diferentes e se adaptar com todas elas não era algo fácil pra mim pelo menos. Eu era estranha, solitária e sem dúvidas falando, muito problemática. 

[...] 

 Eu não gostava muito de conversar mais aquele silêncio na mesa já estava irritando. Só conseguia ouvir o barulho de nós todos mastigando a comida e então depois o silêncio pairava de novo, era meio estranho como se eu e a Cindy tirassem a privacidade dos dois, ou pior ainda, como se nós duas fossemos meio que "intrusa" na casa. Eles estavam o momento todo trocando olhares isso me incomodava porque apesar da Cindy ser pequena demais pra entender ela parecia estar confusa.. Ela é apenas uma garota de 4 anos não quero que ela cresça odiando o padastro ou algo do tipo mais eu também não quero que assim como eu, quando ela crescesse eles ficarem escondendo as coisas dela, não seria um jogo muito limpo pra uma mãe e um padastro. 
- Querida nós temos que conversar. - Minha mãe avisou prendendo a respiração e tentando dar um sorriso que saiu mais patético do que eu pensava que sairia, apenas encarei os dois com uma cara nada boa. 
- Pode falar eu estou escutando. - Falei cruzando os braços e parando de comer, minha mãe tinha um jeitinho todo meigo de tentar se safar das coisas que ela fazia que era ridículo,  ela podia me chamar de filha desnaturada e tentar me colocar num reformatório, ela podia fazer tudo isso e não ia conseguir mudar minha opinião. 
- Bom, eu e seu pai estamos pensando em..- Antes que ela pudesse terminar, interrompi ela para corrigir. 
- Meu padastro você quis dizer, que eu saiba meu pai tá no Brasil. Onde eu queria estar também! - Exclamei batendo na mesa deixando a Cindy do meu lado assustada. 
- Tá, como você preferir. Eu só queria avisar que eu e o Paul vamos passar esse fim de semana em uma viagem pra Paris, vocês vão ficar na casa da Vó de vocês.- Prendi a respiração e encarei ela como se esperasse que ela disse-se "BRINCADEIRA" mais isso não aconteceu, caramba eu odiava aquele lugar e ela sabia disso. Não era por causa da minha vó ou do meu vô, era por causa dos meus primos e provavelmente minhas primas que também estariam lá, sempre estão. Ninguém gostava tanto de mim como da Cindy e sempre quando a gente ia pra lá tinha alguma briga ou sempre eles humilhavam a gente de alguma forma, não que eu não tentasse ir contra mais eles sabiam das minhas coisas, da minha vida e dos meus problemas. Tudo o que eles não precisavam saber mais minha querida mãe precisa contar pra família, ótimo ela consegue deixar minha vida tão mais difícil que é impressionante. 
- Você sabe que eu odeio lá!- Levantei e bati as duas mãos na mesa de vidro com tanta força que quase a quebrou, mais isso não importava agora eu estava muito nervosa pra ligar pra isso. - Porque você faz isso? Você não pensou nem na Cindy caramba? A última vez que fomos lá ela voltou chorando e quem teve que ficar com ela por três dias cuidando dela foi eu e não você! - Joguei na cara dela. Ela sempre tá planejando viagens, nunca pensa na gente, será que ela esqueceu das filhas que ela fez? 
- Você não pensa em mim não? Eu TAMBÉM mereço ser feliz, minha vida não é baseada só em vocês. - Falou levantando-se da cadeira e aumentando o tom de voz. 
- Não pensar em você? - Falei mais sarcástica possível. - Você é minha mãe eu quero te vê feliz mais quando a coisa inverte eu não sei se é assim que você pensa, você nunca sai com a gente você nunca se preocupou comigo caramba! QUEM VOCÊ ACHA QUE É PRA VIM ME JULGAR? Você não deve saber nem minha idade porra. - Sai de lá e corri pro meu quarto. 
 Não, eu não era acostumada a falar palavrão mais as vezes sai. Eu não tinha culpa se ela era uma mãe totalmente irresponsável, não tenho culpa de ser solitária e não gostar de pessoas porque no fundo a culpa é dela. Minha infância era tão ruim que eu não me lembro de ter passado um dia das crianças com ela, era sempre com meu pai é claro que eu o amava mais eu sentia falta de uma mãe presente, e eu ainda sinto falta. 
 Peguei meu celular e disquei o número do meu pai, eu precisava falar com ele, ouvir a voz dele. Ele era o único que talvez se importasse comigo, só ele. Minha voz estava vacilante, ele ia saber que tinha acontecido alguma coisa e agora ele devia estar trabalhando eu vou me sentir culpada por atrapalhar ele mais eu precisava urgentemente falar com ele. No segundo toque ele atendeu. 
- Quem é? - Ouvi ele falar e ri imaginando que isso aconteceria. Ele nunca olha antes de atender e então por isso não sabia que seria eu. 
- Quem será né pai. - Falei e soltei um risinho abafado. - Você deveria começar a olhar antes de atender. - Avisei e ele riu. 
- Não consigo é muito automático, ouvi o toque pego e atendo. Não tenho culpa, sou um cara muito ocupado pra ficar vendo essas coisas. - Falou tentando ser sério mais eu tive que rir, ele podia ser sério em trabalho mais normalmente ele era o cara mais engraçado que eu conheço. - O que aconteceu pra você ter me ligado? Pensei que tinha esquecido do papai aqui. 
Dessa eu tive que rir. 
- Claro que não esqueci pai. As coisas estão difíceis em casa, porque o senhor não pode apenas me levar pra morar com você ai? Eu já tô cansada da minha mãe e do meu padastro idiota. - Falei deixando umas lágrimas caírem, minha mãe me deixa tão nervosa. 
- Ei olha lá como fala mesmo que você não goste dele não pode xingar ele dessa forma, ele não fez nada com você. Ou fez? - Perguntou duvidoso tentando parecer calmo mais eu sei que por dentro ele também queria me vê, eu tenho certeza disso. 
- Não, não é isso. Mas você sabe, como sempre minha mãe tá "planejando viagens" - falei fazendo uma voz irritante que fez ele rir. - Sem nos avisar. O pior de tudo pai; ela ainda quer obrigar eu e a Cindy a ficar esse fim de semana na cada da vovó pai! Você sabe tudo que eu passei lá. Eu só queria ir pra o Brasil ficar com você. - Falei baixo e funguei soprando os cabelos do meu rosto. 
- Eu fico com medo de trazer você pra cá, como ficaria a Cindy? Ela é tão nova, ficaria sem um suporte ninguém sabe como ela ficaria sem você filha. Se você quiser voltar tudo bem mais.. - Interrompi ele. 
- Tudo bem pai - suspirei.- Você tá certo. Eu só queria saber o que fazer, acho que tenho que desligar eu prometo ligar depois pai. 
- Tudo bem, não se esqueça de ligar mesmo. Eu te amo filha. - Sorri com isso. 
- Também te amo pai, beijos. 
 Desliguei e então aquela sensação de vazio tomou conta de mim de novo. Ele talvez seja a única pessoa que eu confiasse, era muito idiota e fútil se sentir assim? Pode ser que sim. Peguei meu celular e coloquei em qualquer lugar, eu não queria ir pra casa da minha vó mais nem tudo é como a gente quer. 
- Não precisa se dar o trabalho de arrumar suas coisas, eu mesma já fiz isso.- Minha mãe avisou colocando uma mochila em cima da cama, apenas ignorei. 
- Que bom porque eu não ia arrumar mesmo. - Falei dando de ombros. - Quando entrar no meu quarto se lembra que existe porta e que geralmente as pessoas batem e pedem pra entrar antes de chegar assim. 

[...] 

Eu estava feliz por vê a vovó ela era muito legal com a gente e apesar de tudo ela era mais presente que minha própria mãe. Era legal, vai. 
- Você tá maior e mais bonita desde a última vez que eu vi você. - Ela falou apertando minhas bochechas, tive que rir. 
- Não faz nem um mês que eu vim aqui vó. - Falei colocando a mochila (que estava exageradamente pesada culpa da minha mãe que ainda me fez carregar aquilo) e abracei minha querida vó. Era bom abraçar ela. 
- Vovô, vovô.- Cindy gritou pra meu vô prestar atenção nela. - Olha o que eu fiz pro senhor. - Falou dando a ele um desenho que ela tinha feito antes de chegar aqui. Acho que por algum motivo ela era mais apegada ao vô e ao contrário de mim que era e sempre fui mais apegada com minha vó, fazer o que né. 
- Vem aqui querida, quero um abraço seu. - Ela chamou a Cindy que logo foi abraçar a vó, ou melhor dizendo, dona Sara. 
 Era um lugar calmo e um pouco longe da cidade, lugar onde eu ficaria doida por ser muito parado. Não que eu fosse agitada. Me descrever é quase que impossível, sou o tipo de idiotar bipolar nível extremo, e isso foi ante uma ofensa vendo de lado a mim mesma. 
- Ah, as idiotas chegaram. - Prendi a respiração e me virei com pressa da poder vê quem era o idiota agora. Na verdade era apenas minha prima Ana, se eu odeio ela desde sempre? Claro, e olha que pra mim "ódio" é uma palavra muito forte pra mim, mais eu odeio ela mesmo. Na verdade eu odeio quase todo mundo daquela família. 
- Idiota é o que você chama de rosto, ridícula. - Eu ainda estava por cima. Não tinha meus outros primos pra me ofender e ajudar ela a me humilhar então eu ainda podia xingar um pouco ela apesar de eu odiar palavrão. 
- Ei, pode parando as duas. - Minha mãe falou se metendo no meio. Ridículo, sai de lá e fui pro quarto de hospedes jogando a mochila em qualquer lugar e sentando na cama. Tão patético parece que minha mãe só me trazia aqui pra eu me sentir mais diminuída, pior do que eu sou. Isso me rasga por dentro.

                                                    --------------------------------------------------

  Hey girls! 

 Como vocês estão? Vocês são muito fofas e não esqueçam de vê os comentários respondidos, sim o Justin vai aparecer jajá. Vocês tem que comentar, não se esqueçam isso estimula a gente não só eu como as outras garotas do blog, eu também não postei ontem porque tava chovendo onde eu moro e não tem como acessar a internet de jeito nenhum nesse tempo, me desculpem. Tá aqui meu ask  meu twitter é @mccann1d.
Eu não sei se o capítulo ficou muito grande, também não quero que a fic fique enjoativa *-*

Beijos, ante a próxima gatinhas. 

We're the best of friends - Capítulo 04



                            
Fiquei alguns segundos olhando em seus olhos e então me lembrei de que sua mão estava estendida no ar,pisquei repetidas vezes e então a apertei.
-Muito prazer Mike,sou Alison. –sorri.
Mike realmente era novo na escola,na verdade tinha acabado de chegar aos EUA,ele morou na Austrália desde seus quatro anos,o que justificava seu sotaque um tanto sexy,agora estava de volta ao seu país de origem.Ficamos conversando praticamente a aula toda e Mike ainda achava graça quando o professor nos chamava a atenção,ele era engraçado,dizia coisas que me faziam rir o tempo todo.E quando ele sorria,seus olhos brilhavam e sorriam também,posso dizer com certeza que Mike era um dos garotos mais bonitos que eu já tinha visto na vida.
-Na próxima aula espero que venham preparados, iremos dissecar sapos. –o professor disse e a turma começou a sair da sala.
-Ele só pode estar brincando. –fiz cara de nojo e Mike deu uma risada.
-Relaxa,não é tão mal assim.
-Não tenho boas experiências com sapos. –eu disse e ele me encarou esperando por uma continuação. –Ano passado algum engraçadinho encheu o laboratório com sapos,quando entramos na sala pra ter aula as garotas começaram a gritar e os meninos ficaram fazendo piada sobre isso.Então Justin pegou um sapo e foi me mostrar,o sapo pulou da mão dele pra minha cabeça,eu comecei a gritar e a turma inteira riu de mim.
-Eu precisava ter visto isso. –ele disse rindo. –Quem é Justin?
-Meu melhor amigo,você vão se dar super bem,eu aposto.
Seguimos pro refeitório onde os grupos já haviam se dividido em suas respectivas mesas.Segui na direção onde estavam sentados Tyler e Trisha.
-Gente esse é o Mike,meu novo parceiro de biologia. –eu disse enquanto Trisha o “comia” com os olhos.
-Sou Trisha. –ela se levantou e beijou sua bochecha. –Eu sabia que pelo menos um gato ia entrar esse ano.Minha intuição nunca falha.
-Prazer cara,sou Tyler. –ele disse estendendo a mão.
Os dois se cumprimentaram e Mike se sentou conosco.Trisha,como sempre,começou a interrogá-lo. Percebi que Tyler estava um tanto quanto nervoso com essa situação,alguma coisa estava acontecendo entre os dois,disso eu não tinha duvidas.Após alguns minutos,Justin apareceu com Megan agarrada ao seu braço,ele lhe deu um selinho e ela se afastou,rebolando,depois de olhar para Mike e morder os lábios.
-É cara,parece que você é o próximo da lista. –Justin disse sem expressão e sentou-se à mesa,sem se dar ao trabalho de se apresentar.
Passamos o intervalo inteiro conversando e rindo enquanto Justin encarava Mike de forma séria.Aquilo já estava me irritando.Qual é?O garoto mal chegou e Justin já não vai com a cara dele?Quando o sinal finalmente tocou Mike se despediu de todos e seguiu pra sua próxima aula.
-Você podia ter sido um pouco mais educado. –disse olhando séria para Justin.
-Não fui com a cara dele.
-Você nem o conhece. –disse indignada.
-Olha Ali,eu sou Justin Bieber,o garoto mais desejado desse colégio.Você tem idéia de quantas garotas eu ouvi dizendo o quanto ele é bonito e forte? –ele fez cara de nojo. –Não suporto concorrência.
-Você consegue ser patético as vezes,sabia? –disse e saí dali.
-Ali,volta aqui. –pude ouvir Justin gritando,mas continuei meu caminho.
Passei o restante das aulas pensando no quanto estava magoada com Justin,não apenas por ele ter sido grosso com uma pessoa que não o fez nada,mas por ele ser tão canalha,acho que essa era a palavra.Por que ele não pode se interessar por garotas que valham a pena?Por que ele não pode ser apenas de uma?Por que a raiva que ele sentiu de Mike não era por ciúmes de mim?Por que ele só se importava em quantas vadias ele conseguia pegar?
Assim que as aulas terminaram fui em direção ao meu armário guardar meus livros.Me deparei com Justin encostado nele me encarando.
-Me desculpa. –ele deu um sorriso de lado.
-Eu queria que você fosse só uma pessoa.
-Como assim?Não entendi. –ele realmente parecia confuso.
-Eu queria que você fosse só o Justin que me faz rir,que cuida de mim.Só o Justin doce e encantador. –suspirei.
-Ei,pra você eu sou sempre esse Justin.Qual o problema?
-Eu to cansada de te ver com essas vadias.Por que você não pode sair com uma garota normal,com quem você possa conversar,rir,fazer algo além de sexo?
-Eu me divirto mais com as outras.Esse tipo de garota não me interessa,deixo elas pro
Tyler, por exemplo. –ele sorriu.
Sim,ele sorriu .E eu senti como se alguém estivesse esmagando meu coração.Justin nunca se interessaria por mim,seriamos apenas amigos,pra sempre.
Disse à Justin que precisava ir logo,não queria ter que encará-lo mais um segundo sequer.Dei as costas e segui até meu carro,onde Trisha já me aguardava escorada no capô.
-Que cara é essa? –ela perguntou.
-Eu queria parar de gostar do Justin amiga,só isso.
Entramos no carro e seguimos em direção à casa de Trisha,me despedi dela e fui pra casa.Teria que almoçar sozinha,esquentei minha comida e após lavar meu prato fui pro meu quarto.Lá, peguei uma caixinha que ficava no meu criado mudo,no fundo dela peguei uma foto e a fiquei encarando.
-Por que você é tão complicado hein? –disse isso,mas não pude conter um sorriso ao ver o dele.Fiquei com a foto na mão mais alguns minutos e acabei pegando no sono.

                                  ...
Bom meninas,vim postar o capítulo pra não deixar vocês nas mão,mas confesso que estou um pouco desapontada com a quantidade de comentarios,não vou deixar de postar com frequencia só por isso,mas vocês sabem que podem comentar mais,é tão mais gostoso escrever pra vocês quando a gente sente que tem muita gente gostando.
Mas enfim,como estão? Eu to passando mal aqui em casa e vim postar,podem me amar,haha.
Beijooo,lindas,até o proximo capítulo.Não se esqueçam,comentem muitooo.   

25 de abr de 2013

Begin Again / / Capitulo 2

" Pedro estava ali na minha frente, me encarando, triste muito triste, olhei em volta e não estávamos no quarto do hotel, estávamos num lugar escuro, aonde eu só podia enxergar o rosto de Pedro triste, ou até mesmo magoado? 
- Pedro? -falei
ele não respondeu nada apenas ficava me olhando ali parado como uma estatua até que em um movimento rápido pude sentir ele me tocar, o que era meio estranho pois ele estava morto, ele estava me tocando mais percebi que em volta dele tinha um contorno por todo o seu corpo, prata, ele era uma....alma"

-AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH -gritei assim que me despertei do "sonho" -se é que posso chamar assim
O meu colega de quarto-Justin acho que esse era o nome do arrogante- acordou assustado, e me olhou com a mesma cara de quem faz uma pergunta- aposto que se estivéssemos em um desenho animado, Justin estaria com um ponto de interrogação em cima de sua cabeça -

-O que ouve com você garota?
- Sophia, esse é meu nome, e eu só tive um sonho -falei
- Sonho? -perguntou irônico- Se você tivesse um sonho não acordaria gritando, você teve um pesadelo -me corrigiu
- Que seja -respondi ríspida assim como ele na primeira vez que me viu.

Eu estava ofegante me levantei e fui até a mini geladeira e peguei um copo de água era tudo que eu precisava, tomei tudo e fui no banheiro me encarei no espelho e abri a torneira e molhei meu rosto enquanto me encarava no espelho, percebi que aquele pesadelo, tinha algum significado, mais qual?

Voltei ao quarto e Justin, estava virado para o outro lado -para o lado da minha cama- ignorei e fui me deitar virando para o lado oposto, desde que não visse a cara de Justin estava bom, qual é ele era....Estranho '-', me tratou como qualquer uma quando me viu, e no elevador, ele saiu todo apressado, cheguei a conclusão que ele pode ser até meio...Louco. Peguei a coberta que estava em meus pés, e me tapei, fechei meus olhos e depois não me lembro de mais nada, dormi.

....

No dia seguinte eu tive que acordar cedo, com uma má vontade, imagine só acordar no meio da madrugada com um sonho ruim  e depois ter que ir trabalhar cedo? Pois é estava agora no meu trabalho, na minha sala resolvendo as papeladas da empresa já que eu era administradora ou melhor como eu já disse a faz tudo. Quando eu acordei, Justin não estava mais no quarto sua cama estava arrumada mais ele não se encontrava mais lá, dai eu me arrumei, e fui tomar café no restaurante lá em baixo no hotel e ele não estava lá também,ele deveria ter ido trabalhar só pode. E bom... Agora estou aqui no trabalho, e se eu dissesse que já fiz amigos seria verdade, aqui no canada todo mundo é simpático -exceto Justin- fiz amigo assim que cheguei. Fico feliz assim é mais oportunidade de tentar esquecer Pedro.

* toc, toc, toc* ouvi alguém batendo na porta.

- Entra -falei, assim que falei, um garoto que deveria ter a minha idade, trouxe mais um monte de papelada   -_-
- Sei que é seu primeiro dia...É....
- Sophia -complementei
- Sophia, mais trouxe mais papeladas para você, Meu nome é Natan -falou colocando os papéis em cima da minha mesa.
- Prazer, tudo bem esse é meu trabalho -corri.
- Quer ajuda?
- Seria....Ótimo
- Ok
- Em que você trabalha aqui na empresa Natan?
- Bom... Meu trabalho é ser seu secretário
- Ah, legal -exclamei
- espero ser legal trabalhar com você
- Digo o mesmo -rimos

E bem... Essa foi minha manha, depois fomos almoçar num restaurante juntos -ele que pagou- e percebi que já tinha um grande amigo, por algumas horas Natan me fez esquecer o meu sofrimento, fez eu esquecer de tudo que passei a uma semana atrás, ele me fez esquecer da dor -quando perdi Pedro-.

É claro que quando cheguei no hotel tudo voltou ao normal, Justin sentado na "salinha" que tinha no "nosso quarto" -comentei que havia uma salinha ali?- E ele nem se quer me deu oi, então nem me dei ao trabalho de dar um "oi".

Peguei minha roupa e fui tomar um banho, depois de um dia longo de trabalho e assinando papéis -com ajuda do Natan- mais mesmo assim foi cansativo era tudo que eu precisava.

.....

Justin estava numa poltrona e eu em outra nem uma palavra estávamos olhando um filme que bem...Nem eu sabia do que era, peguei pela metade.

- ok, como eu vou ficar aqui pelo menos dois meses, não vamos ficar nesse clima chato não é mesmo? -falei indignada com o silêncio que estava naquele quarto
- Você está certa, tá na hora de eu procurar outro hotel para eu ficar -falou ele se levantando
- O que? Eu não falei isso
- Mais quis dizer
- Não -falei- não coloca palavras na minha boca
- Tudo bem, o que você quer?
- Eu vou ficar aqui por longos dois meses, e vamos ficar nesse clima? silêncio?
- Sim, é melhor do que conversar
- É pelo jeito não dá para ter uma conversa de gente com você -falei e fui até meu armário

Ele não respondeu, peguei no meu armário meu porta joia e me lembrei que foi Pedro que me deu,era de um formato de um coração, peguei meu noot, e fiquei vendo algumas fotos minha e dele, Justin que estava atrás de mim deve ter visto por que falou

-Vocês dois se amam muito não é mesmo? -falou meio triste?
- Por que está triste?
- Nada não, mais você não respondeu minha pergunta
- Agente se amava
- Terminaram? -perguntou curioso
- Ele... Ele....
- Ele? -falou
- morreu -falei e assim senti uma lágrima cair dos meus olhos

Justin p.o.v

Assim que ouvi isso da boca dela, percebi que essa garota sofria algo que eu também sofria, ela perdeu o namorado dela, eu perdi minha namorada, acho que pelo menos isso temos em comum, quando percebi ela estava chorando, o que poderia fazer? Abraça-lá? NÃO. ISSO NÃO. Mais mesmo assim, odiava ver mulher chorar.

- Hey, eu....

Contava ou não contava eis a questão? Queria compartilhar com ela que eu tinha perdido a minha namorada também mais....eu não tinha certeza, vou contar.

- Eu perdi minha namorada a um mês atras

Ela me olhou chocada eu acho, seus olhos cheios de lágrimas, me olharam.

- O que?
- Sim, a um mês atrás você ainda está superando mais eu, tentei já me matar, qualquer coisa que você imagina eu já tentei

-----------------------------------------------------------------
Oiiiiiii meus amores <333 p="">
Vish '-', eles estão começando a conversar ALELUIA, Mais não se preocupem no proximo capitulo eles não vão começar a namorar já ok? Afinal seria muito rápido e sem graça, mais então tem muitas coisas para rolar nessa história ainda o.o, podem acreditar.
Mais então cade os comentários? Estou triste,tipo eu to postando com todo amor aqui e poucos comentários poxa :((((((((((, comentei o que estão achando haahah
Vou ter que ir agora, né, bjinhos amo vocês <3 p="">
Xoxo:* @sohumabelieber

We're the best of friends - Capítulo 03





                                                      
Depois que Justin saiu apenas suspirei,pensando em como ele podia ser tão cafajeste e tão doce comigo ao mesmo tempo.Resolvi voltar para a sala,afinal Trisha e Tyler ainda estavam lá.Quando cheguei percebi que eles ficaram vermelhos,mas ignorei,Trish teria que me contar o que estavam fazendo depois.

-Cadê o Justin? –Tyler perguntou.

-Ele já foi.Tinha algo mais divertido pra fazer.

-Ele não toma jeito.Tudo bem que ele está na fase em que deve curtir,mas ele passa dos limites as vezes. –Tyler disse e se levantou. –Acho que já vou também.

Tyler se despediu de mim e Trisha disse que também precisava ir,acompanhei ambos até a porta e voltei para a sala para arrumar a bagunça que tínhamos deixado lá.



Acordei com o despertador, 7 da manhã de um lindo dia de sol. Seria perfeito pra fazer qualquer atividade ao ar livre se eu não tivesse algo chamado escola.Me levantei,tomei um banho e coloquei uma roupa confortável.Desci pra tomar café,sozinha dessa vez,durante a semana meus pais saem cedo de casa e só voltam a noite,apesar de serem um pouco ausentes eu não reclamo, já que eles sempre estão presentes quando eu preciso.

Peguei meu carro e segui em direção a casa de Trish, eu seria sua carona por um mês inteiro.Culpa do castigo que ela levou por chegar em casa as quatro da manhã completamente bêbada.Na porta de sua casa apertei a buzina e algum tempo depois ela saiu vestindo uma micro saia e uma blusa que deixava a mostra seu piercing no umbigo.

-Você ainda vai ser suspensa por excesso de pele a mostra. –disse quando ela entrou no carro.

-O que é bonito é pra ser mostrado.Você devia tentar um dia,com esse corpão. –ela piscou.

-Essa eu passo.

Na escola o movimento era grande,tínhamos acabado de voltar de férias e as pessoas estavam animadas por rever seus amigos.

-Espero que tenham entrado muitos gatos esse ano. –Trish disse.

-É. –disse sem animação.E Trisha me olhou com cara seria. –O que foi?Você sabe que só tem um gato que me interessa nesse momento.

-Ai amiga,sai dessa,se diverte.Aproveita que você é nova e bonita,não fica presa ao Justin não.Ele é nosso amigo mas não presta,você sabe disso.

-É,eu sei.

Seguimos em direção aos armários.

-Quem escreveu isso? –perguntei.

No armário de Trisha estava escrito com letras grandes e vermelhas : VADIA.

-Aposto que foi a Hanna. –ela disse com ar levado.

-E por que ela faria isso?

-Digamos que eu me diverti bastante com o namoradinho dela nas férias.

-Mentira! –disse surpresa.

-Ela mereceu,além do mais eu não fui a única com quem ele a traiu.

-Com quem mais? –perguntei sem esconder minha curiosidade.

-Megan. –Trisha disse o nome e minha expressão ficou seria.

-Justin saiu com ela ontem.

-Você sabe que é isso que ele faz.Não devia ficar triste por isso.

-Eu sei,mas é que ele é tão doce comigo que as vezes eu esqueço o cafajeste que ele é.

-Isso é porque vocês se conhecem desde sempre amiga.

O sinal tocou e nos despedimos.Minha primeira aula era de biologia,Trisha não era da mesma turma,segui para o laboratório e sentei em uma carteira vazia.

-Bom alunos,antes de começarmos irei dizer quais serão as duplas. –o professor disse e foi formando cada uma.

-Alison Smith e Mike Harris. –ouvi ele dizer.

Fiquei procurando na sala,devia ser algum novato já que eu nunca tinha ouvido esse nome antes.De repente, um garoto dono de par de olhos incrivelmente azuis,cabelos negros e músculos definidos se sentou ao meu lado.

-Prazer.Sou Mike Harris . –ele disse e estendeu a mão pra mim.

                                                               ...
Olá lindezas,como vão? Minha cidade tá um friozinho tão bom,to adorando.
Muito obrigada a todos os elogios,fico muito feliz,o meu único objetivo aqui é agradar vocês.
Então meninas,eu tava pensando aqui com os meus botões,eu acho que sou a unica criatura aqui que não tem twitter,é muito tragico,mas já fiz 3 vezes e excluí,entao pensei em fazer um ask especialmente pra vocês.O que acham?Aí vocês podem perguntar o que quiserem,a gente vai se conhecendo melhor.Me digam o que acham nos comentários.
Ps: Pra você que perguntou se eu tinha outro blog,não tenho não flor,deve ter sido alguma das outras meninas que disse que tinha.Esqueci seu nome,me perdoa.
Beijooooos meus amores,até o capítulo que vem.