19 de mai de 2015

Oi oi galera - About Miles Away

Oi gente. Tudo bem?
Aqui é a menina que postou Miles Away.

Eu queria esclarecer algo que não esclareci quando postei.

Miles Away foi uma OneShot. Eu não pretendo continuar ela como Fanfic por que ela foi uma ideia que me surgiu de repente.

Maaas, eu pretendo postar outras Oneshots.

Caso alguém tenha o app Wattpad eu tenho uma conta lá, onde comecei um livro sobre romance e tal.

O user é: @Ghost_W


Esse ai em cima

Bom... É isso. Até mais Brigadeiros

Ps: em todas as minhas Oneshots vou chamar vocês de Brigadeiros para saberem que sou eu : ) 

15 de mai de 2015

Photograph - By: ausente


Com ela:
"Você e eu fizemos uma promessa
Na alegria ou na tristeza
Não acredito que você me decepcionou
Mas a prova está no jeito como isso dói
Por meses a fio eu tive minhas dúvidas
Negando cada lágrima
Eu queria que isso acabasse agora
Mas sei que ainda preciso de você aqui"
...
Você tem estado tão ocupado
Agora, infelizmente, eu sei o porquê
Seu coração é inalcançável
Apesar de, só Deus sabe, você tem o meu
...
Eu amei você por muitos anos
Talvez eu não seja o suficiente
Você despertou o meu medo mais profundo
Mentindo e nos destruindo
...
I know I'm not the only one"


Com ele:
"Você é só uma pequena saliência ainda não nascida,
Em quatro meses será trazida à vida
Você pode ter o meu cabelo
Mas você terá olhos da sua mãe
Vou te segurar em minhas mãos, serei tão gentil quanto puder,
Mas por enquanto, você é uma imagem do que não planejei ,
Uma pequena saliência, em quatro meses você abrirá seus olhos
...
Com um sorriso como o dela, e uma covinha embaixo do queixo,
Unhas do tamanho de meio grão de arroz
Pálpebras fechadas que se abrirão logo
...
Você pode se deitar comigo, com seus pesinhos
Quando você estiver cochilando eu vou deixar que você fique
Bem pertinho de mim, por algumas semanas
Para que eu possa te dar segurança
...
Você era apenas uma small bump ainda não nascida
Por quatro meses, e então foi tirada da vida
E talvez precisassem de você lá em cima
Mas nós ainda não sabemos o porque"
+
Notas:
 Olá, pessoal! Essa é mais uma sinopse de um fanfic que vem por ai :)
 Espero que gostem, e fiquem tranquilas que vai ter maiores explicacões sobre cada personagem.
.
.
.
Musicas: Sam Smith - I'm Not The Only One /// Ed Sheeran - Small Bump

11 de mai de 2015

Miles away

Gostaria de entender que raios está acontecendo comigo. Meu estomago anda estranho, eu olho para ele e sinto uma felicidade crescer dentro de mim, minhas mãos tremem, minhas pernas vacilam. Ele é meu melhor amigo, isso não deveria estar acontecendo, ou deveria? Meu Deus eu não sei de mais nada. Eu penso nele e penso em por que eu o beijei naquela noite. Já se passaram três dias desde o feriado e eu não falei com ele. Toda vez que penso naquele beijo algo revira dentro de mim, e então eu penso “Caramba, eu beijei meu melhor amigo”. Amanhã eu tenho que voltar a escola e falar com ele. Será que eu devia convidá-lo pro baile de formatura? Ou será que ele vai me convidar? Desde aquele dia eu ouço essas músicas melosas que passam na radio e penso que seria legal se ele estivesse ali.
- Caramba Alice, para com isso - digo a mim mesma e me deito. Espero por longos minutos, ainda pensando nele quando o sono me derruba.
[...]
Na manhã seguinte pulo da cama e nem espero o café, vou direto para a escola. É a primeira vez em 17 anos que chego no horário. Ele sempre chega no horário, mas não hoje. Espero por mais de quinze minutos depois do toque do sinal e ele não chega. Longas e intermináveis, três aulas se passam e ele não apareceu na aula de filosofia, a aula favorita dele. Ando um pouco pelos lugares que ele sempre fica, mas não o acho. Sigo para um aglomerado de pessoas em volta de uma mesa, todos conversam fervorosamente, mas ele não está la. Chris me encara e acena me sento ao lado dele e só ouço as conversas sobre o feriado maravilhoso de todos. Será que seria muito obvio se eu perguntasse sobre ele? Eu precisava saber onde ele estava.
- Hum... Galera - todos param suas conversas e me encaram. Toda aquela atenção me deixava desconfortável. - Alguém sabe onde o Justin está? Eu não o vi hoje em lugar nenhum - todos se entre olham e eu sei que estão me escondendo algo
- Ele não te contou? - indaga Ryan com certo receio
- Contou o que? - o que ele não me contou? Nós éramos melhores amigos, sempre contamos tudo um para o outro.
- Ali, é melhor você passar na casa do Justin pra vocês conversarem - diz Chaz cauteloso, e eu sei que algo nada bom vem por ai. Não digo mais nada apenas assinto com a cabeça e me levanto. Pego o celular e ligo para meu pai a caminho da diretoria.
- Pai preciso de um favor. Eu preciso que ligue na diretoria da escola e diga que você me libera para sair da escola agora. - ele limpa a garganta e eu sei que ele está sorrindo
- Por que Ali? - ele pergunta em seu tom doce e gentil
- Eu preciso ir a casa do Justin falar com ele sobre o que aconteceu. E eu não posso esperar. - ele se cala do outro lado - Por favor, pai, eu prometo que nunca mais peço isso - ele ri fraco do outro lado.
- Tudo bem, eu ligo - sorrio e dou um leve pulo.
- Obrigada Pai, Tchau - desligo o telefone e subo até o andar da diretoria. Quando termino de subir as escadas, Martha, a diretora esta vindo com um papel em mãos.
- Novamente conseguiu o que quer - ela sorri e eu pego o papel de sua mão
- Obrigada, te vejo amanhã - sem pensar muito, eu corro. Eu não sei exatamente o que pretendo fazer quando chegar a casa dele, não sei qual vai ser a reação dele, nem nada disso e não faço idéia do que ele tem para me falar. Quanto mais perto chego, mais aumenta aquela sensação estranha no estomago. Quando paro em frente a casa dele é impossível não sorrir. Subo os degraus da entrada dois a dois. Agora com a porta a minha frente, minhas mãos tremem tanto que é difícil acertar o botão da campainha, mas eu o acerto, e não passa tanto tempo até que Pattie abra a porta sorrindo.
- Olá Ali - ela me abraça e eu retribuo
- Desculpe não falar hoje Pattie, mas Justin está ai? - sinto o nervosismo em cada ponto do meu corpo.
- Está la em cima, pode subir - meu corpo me diz para correr, mas eu ando devagar, arrumo um pouco o cabelo, ajeito a blusa e largo a mochila na beira da escada. Subo um pouco mais rápido e sigo para o quarto no fim do corredor. Minhas mãos estão absurdamente geladas, eu tenho um sorriso maior que meu rosto, mas ele se desmancha assim que abro a porta. Varias caixas fechadas se encontram por todo o canto, e Justin está guardando um porta retrato em outra caixa. Ele se vira e sorri fraco para mim. Eu ando e observo o quarto quase vazio
- Justin, o que esta acontecendo? - pergunto andando até onde ele está.
- Ali, desculpe por não contar antes - espero que ele continue, mas isso não acontece.
- Não contar o que? - tento não parecer desesperada, mas acho que falho.
- Eu vou para Los Angeles - ele coça a nuca e eu fico parada, até a ficha cair
- Você quer dizer morar em Los Angeles? - ele assente
- Eu consegui um contrato com uma gravadora por lá. Eles viram aquele programa de talentos que eu participei e disseram que gostaram muito de mim - ele sorri radiante e eu sinto uma grande vontade de gritar e chorar, mas não fiz nem um nem outro, apenas me aproximo dele e o abraço fortemente.
- Isso é ótimo - suas mãos envolveram minha cintura e me ergueram. Tudo que eu mais quero é guardar aquele momento, por isso me permito sentir seu cheiro e guardar o máximo de detalhes dele. Ele me coloca novamente no chão e eu me afasto para poder vê-lo melhor. Seus olhos dourados, seu cabelo louro, suas tatuagens, seu sorriso. Guardo tudo e prometo a mim mesma não esquecer aquela imagem.
- Quando você vai? - pergunto depois de muito tempo em silêncio.
- Hoje a noite - não estou surpresa. Encaro a caixa e vejo a fotografia que ele havia guardado. Eu adorava aquela fotografia. Eu estava nas costas dele durante a minha festa de 16 anos com a língua para fora e ele gargalha.
- Essa é a minha foto favorita - declara ele apoiando o queixo em meu ombro. Seu rosto a milímetros do meu.
- É a minha também - sorrio e me lembro como estava feliz naquele dia. Era uma festa surpresa. Justin me levou para um parque de diversões como presente de aniversario. Quando chegamos em casa ele me levou até o jardim e todos estavam lá. Depois que todos foram embora Justin e eu ficamos no telhado conversando sobre coisas aleatórias, lembrando da infância, e olhando o céu. Encaro novamente o quarto cheio de caixas e meus olhos se enchem de lagrimas.
- Vou sentir sua falta Drew - digo baixo e ele fica na minha frente. Ele me abraça e afaga meus cabelos.
- Também vou sentir sua falta Honey- sorri. Só ele me chamava de Honey e só eu o chama de Drew. Eu sempre o proibi de me chamar de Honey, mas depois de muita teimosia dele, eu apenas aceitei e comecei a proibir que outras pessoas me chamassem assim.
- Quer ajuda com o resto das coisas? - ele sorri e assente. [...]

Nunca gostei de aeroportos, eles me faziam lembrar aqueles filmes onde as pessoas se despedem e nunca mais se vêem de novo. E agora eu estava esperando o vôo de Justin. Será que eu o veria de novo? Ou será que ele ficaria tão famoso que não teria tempo para me ver?
Durante o tempo que paramos de falar eu imaginei mil jeitos de fazê-lo desistir da viagem, mas desistia das idéias logo em seguida. Pensei em dizer a ele o que sentia, mas e se ele ficasse? Ele perderia toda uma longa e feliz vida como cantor. Todas as idéias do mundo passaram pela minha cabeça, todos os pensamentos sobre o futuro se materializaram na minha mente, todas as palavras me passaram na frente dos olhos. Mas nada foi revelado a Justin.
- Ei - ele chamou minha atenção e eu o encarei meio desorientada. - Tire uma foto comigo - ele ergueu o celular e eu sorri. Joguei o cabelo para o lado e olhei para a câmera. Sorri e ele também. Depois ambos fizemos uma careta e ele tirou outra foto. Gargalhamos. Ele abriu a foto e me encarou. Seus lábios a centímetros dos meus.
- Temos uma segunda favorita? - perguntou ele sorrindo.
- Sim - ri fraco e encarei seus lábios. Afastei-me e prendi o cabelo.
Passageiros do vôo 3757 favor comparecer ao portão de embarque 2
Encarei Justin e ele sorriu fraco de canto
- Chegou a hora - declarou ele se levantando, me levantei também e o abracei, ele passou seus braços em volta de minha cintura e me abraçou fortemente. Não consegui dizer nada, apenas chorar. Depois de longos minutos o abraçando, me afastei dele e tirei meu colar.
- Quero que fique com isso - Era um colar antigo que meu avô havia me dado de presente. Uma ancora presa em um colar de couro. Coloquei em seu pescoço e ele sorriu. - Caso algum dia esteja em crise, e sinta que você não é mais você, isso vai te ajudar a lembrar de onde veio e quem você é - ele segura o pingente como se fosse um amuleto e sorri largamente. O encaro pela milésima vez naquele dia. Caminhamos lado a lado até o portão de embarque. Abraço Pattie e digo a ela o quando sentirei sua falta, então ela encara Justin e se vai. Olho para Justin e a ultima idéia de contar a ele o que sinto passa tão rapidamente quanto chega.
- Você sempre será o meu melhor amigo, trouxa - digo só para que ele ouça
- Você sempre será minha melhor amiga, idiota - gargalho e ele me acompanha, ouço o som de sua risada atentamente tentando guardá-la 
- Eu amo você Drew - ele parece um pouco surpreso (eu também estou), mas sorri. Não sei exatamente qual o foi o sentido daquela frase (amor de amigos ou amor de amor), mas sei que o amo.
- Eu amo você Honey - aquelas palavras enchem meu coração, eu não me apego a nenhum sentido daquela frase, me apego somente ao fato de ele me amar.
- Honey, não me bata - ele declara, eu o encaro confusa
- Por que eu te...? - ele me puxa para si e me beija. Um beijo calmo, mas intenso. De repente as pessoas pareceram sumir e o mundo girou mais devagar só para nós dois, borboletas explodiram em meu estomago e eu me senti grata por aquele momento. Somente uma coisa se passa na minha cabeça "O melhor beijo da minha vida foi com meu melhor amigo" Nos afastamos e eu sorrio para ele e o abraço rapidamente.
- Agora você pode ir - digo e ele gargalha
- Tchau Ali - ele me da um selinho e se vira caminhando até o portão de embarque. Eu espero até que ele suma no próximo corredor.
- Tchau Justin - sussurro e me viro para ir embora.
Não sei o que o futuro está guardando para mim e para Justin. Pode ser que seja bom, pode se que não, mas eu não quero tentar adivinhar. Quero apenas ser surpreendida.
Meu celular vibra com uma mensagem de Justin

"Quase me esqueci. Toma ai a nossa segunda foto favorita =P
Ps: Eu vou voltar. Isso é uma promessa
- Drew"

Abri o anexo e a foto que havíamos tirado há pouco tempo apareceu. 

Naquele momento eu percebo, que não importa o que acontecera nas nossas vidas daqui pra frente, não importa aonde nós vamos, não importa quantas milhas de distancia existam entre nós. Nós sempre seremos melhores amigos e sempre teremos um ao outro. E eu sou imensamente grata por isso.



Este é o fim de um começo