31 de out de 2013

Kiss or Mischief - Capitulo 3



 Entrei em casa e subi logo. Como sempre, meu pai estava trabalhando e isso seria até de noite.
 - Cretino! - Gritei jogando minha bolça na cama. Não acho que ela merecia, mas eu estava com raiva e precisava descontar em alguma coisa antes que que eu saísse daqui e fosse procurar aquele imbecil no inferno.
 O pior de tudo é que eu não fiz nada, absolutamente nada.

 Ninguém  faria nada se estivesse no meu lugar, apenas... Corresponderia.

 Droga, nem corresponder eu correspondi.
- Sua idiota! Burra! Otária! - Praticamente berrava para o espelho. - Agora é isso? Você o odeia por simplesmente... Ama-lo? - Não. Era isso que ele queria e eu não iria dar isso a ele.

 Isso foi desde o começo, não é?

 Me olhei no espelho e lagrimas já escorriam descontroladas.
 Aqueles olhos.
 Aquela boca.

"- Ele não é como os garotos que gostavam de você no fundamental."

- Maldito! - Era isso, então! Justin Bieber era o garoto que eu sempre gostei quando eramos criança.

FlashbackON-
Eu estava no fundamental ainda e justo naquele momento, sozinha em casa, eu escrevia a carta mais sincera para um garoto que me atraia muito.
 Justin Bieber.
- Ótimo, sem nenhum erro. - A olhava alegre, gostava do que via ali em minhas mãos. Eu não era a pessoa mais inteligente, mas era a menos burra da sala... Eu acho.

 No dia seguinte iria entregar-lhe a carta, iria olha-lo nos olhos e o veria dizendo que gostava de mim também.
 Meus sonhos se realizariam... Bom, era o que eu achava.

- Eu não quero. - Era só isso? Tão novo e já dizia que não queria nada? Ele apenas se virou e se foi coo se nada tivesse acontecido.
 E no meio de tantas rizadas humilhadoras que direcionavam à mim, prometi que a partir daquele dia seria diferente.

 Eu seria melhor que ele.

FlashbackOFF-

 E era isso que eu havia feito todos estes anos, fui melhor que ele.
 Até agora.
- Mesmo te amando, eu vou acabar com você. - Eu disse auto para o espelho

[...]

 Meu pai ainda não havia chegado, como já era muito tarde eu decidi tomar um banho e ir dormir para acalmar os nervos. Ao deitar na cama, ouvi um barulho vindo do primeiro andar.

 Fogo.

 Era o alarme de incêndio fazendo aquele barulho. Me levantei rápido e abri a porta, uma fumaça já se espalhava por toda casa e tinha certeza que se desse as escadas seria queimada.
- Socorro! - Gritei na janela do meu quarto rezando para algum vizinho me ouvir. Jé estava começando a sufocar ali, então me lembrei de umas madeiras que tinha do lado de fora do quarto do papai.
 Sabe aquelas tabuas que ficam na parede do lado de fora da casa para se amarrar flores e tals? Era tipo isso.
 Peguei uma toalha e a molhei, enrolei em mim e corri para o segundo quarto terceiro quarto do corredor. Abri a janela, coloquei um pé para fora e o outro em seguida. Logo que desci andei rápido até a primeira casa que vi.
- Socorro! - Eu já gritava sem folego.
 Parei perto de um degrau e olhei para cima. Uma mulher, que aparentava ter uns 40 anos, havia e visto ali.
 Logo depois eu apaguei.

 FELIZ DIAS DAS BRUXAS!! Como vão? O dia de vocês esta assustador? 
 Bom, eu iria postar na terça, mas tive problemas e na quarta também... Só deu hoje .-.
 Eu ia fazer um especial Dia das Bruxas, mas a história atrasou, então... É, talvez outro dia. 

 Acho que é isso ai. Desculpem a miséria de capitulo, mas minha criatividade esta uma mer*a :)

10 Comentários?

3. This is love

"Foi você que fez meu mundo desandar.”        
                                                                                 Strike

“Você venceu! Vamos para o parque?”
“E o jogo?”
“Não acho o ingresso.”
“Então me espere, eu vou trocar de roupa.”
“Posso passar daqui a pouco?”
“Por quê?”
“Vou tomar banho.”
“Tudo bem.”
“Se vista bem.”
“Vestirei-me.”
Justin entrou em sua casa, cumprimentou todos que estavam na sala, o amigo que iria encontrar de manha, Ryan, estava lá, ele apena zombou dele, já que todos sabiam por que dele não ir.
— Bom, não tenho tempo de escutá-los, vou me encontrar com ela daqui a pouco.
— Vão pra onde? — Perguntou Ryan, bebendo um pouco da cerveja em sua mão.
— Parque de diversões. Essa garota é de mais!
— Por ir a um parque com você?
— Não, porque ela é perfeita.
— Viado.
— Eu estou subindo.
Já fazia um tempinho em que os dois estavam no parque, Savannah corria sem parar para todos os brinquedos, sempre evitando a montanha russa, mas Justin implorou para que fossem a garota aceitou, mas estava nervosa.
Estavam já no meio do brinquedo, Savannah apenas levantou a mão, indicando que estava passando mal, mas na verdade estava chorando, e sua garganta ardendo. Quando o brinquedo parou, a garota saiu apoiada em Justin, que estava quase a pegando no colo. Os dois se sentaram no banco, Savannah olhava para baixo.
— Savannah, você está bem?
— Posso te contar uma coisa, só pra desabafar.
— Claro.
— A três anos á trás, um priminho meu morreu, ele tinha apenas seis anos, e ele amava montanha russa. — Savannah balançou os pés. — A ultima vez que eu conversei com ele, eu lembro que ele estava na cama do hospital, eu comecei a chorar, e então ele falou “Sava, você está chorando?” Eu o olhei, sequei o meu rosto e falei que não, e então ele voltou a perguntar “Sava, você está chorando por mim?” Eu neguei, e então ele falou “Sava, não chora por mim! Sava sorri!” Eu não consegui sorrir uma única vez naquele dia, eu só conseguia olhar para ele, e era tão ruim vê-lo naquela situação, e então ele me pediu mais uma vez “Sava, se você chorar por mim, eu vou te bater!” Eu falei que estava bem, e que ele não precisaria me bater, e então ele falou “Olha, você promete que quando for a uma montanha russa vai lembrar-se de mim?” Eu falei que lembraria, e ai eu comecei a chorar, ele começou a tossir, e ele ficou tentando cantar uma musica, mas a tosse não deixava e toda vez que ele falava parecia que tinha corrido, sua respiração estava fraca. — Savannah grudou seu rosto no corpo de Justin. — Eu sinto tanto a falta dele. — Justin não falou nada, apenas a abraçou, deu-lhe um beijo na cabeça.
— Quer ir pra casa? — Justin sussurrou em seu ouvido. A garota assentiu, e enfim desgrudou-se do rapaz, não chorava, mas estava machucada.
Justin parou em frente ao prédio, Savannah olhou para o lado de fora, ventava um pouco. Olhou para Justin, que continuava a olhar para rua, talvez estivesse estressado, já que só perdeu tempo indo para o parque.
— Desculpe. — Justin a olhou, sorriu de uma forma fofa.
— Está tudo bem. — Ele pegou a mão da garota, e a beijou. — O dia foi ótimo, muito obrigada.
— Ás vezes você é meio bobo, já te falaram? — Ela sorriu, e antes que o garoto pudesse soltar sua mão, ela a apertou. — Eu gosto disso em você. — Justin acariciou o rosto de Savannah com sua outra mão. A garota fechou os olhos e suspirou. — Eu preciso ir.
— Claro. Boa noite.

— Boa noite. 

Olá gatas, como estão? Bom, eu estou bem, muito bem! O Justin vai estar no Brasil na sexta, o que quer dizer que é amanha, por favor, morrendo aqui! E bom, estou muito feliz com isso. Minha gente, eu vou demorar um pouco pra postar (só um pouco), pois eu vou ter que colocar minha apostila em dia, estou ferrada. Era só isso, mil beijos. 
Carolina. 
P.S: A Ana vai mudar o nome da menina da estória dela, achei muito fofo da parte dela, pois eu não gosto de mudar, mesmo quando edito minhas estórias. Muito fofa. 

Love Will Remember em Reformas

Geente linda
Eu vou fazer uma reforma total em Love Will Remember,pq está fora das regras do Blog ou seja,não posso postar a #IB fora de padrão né ?
Enfim, vou fazer os ajustes necessários e reposto os capítulos.
E 6 coisinhas :: 
1º :Como está mt confuso as postagens desorganizadas,eu vou postar nas sextas e talvez nos domingos ok ? 
2º : Não será mais a Selena,e sim Devveron,uma personagem que eu inventei a uns tempos atrás kk
3º : Não assino mais como "Blue" e sim com meu nome,Ana. 
4º : Como a história da Carol tem Savannah como principal,eu também vou mudar a Sav para Liandra,que vai ser a Lizzie  
5º :Vou deixar uma prévia do Cap 4 parte 2 para vocês amanha das 13:30, FIQUEM ATENTAS !!! 

6º e último: Se a prévia tiver 15 comentários eu posto 2 caps no domingo u.u ui kk  MAS,sejam criativas please,pois apenas um "continua" não anima a autora chatinha aqui kk 
Então é isso minhas lindas,beijo beijo, Ana ♥ 

Love Will Remember , Capítulo 2 -People Always Lie , parte 2

Liandra Narrando
2  Dias  Depois
Tem 2 dias que eu estou na casa do Drew .
Tia Ally esta na  loja , e eu estou cuidando dele. Justin piorou bastante durante esses dois dias.
Ele está queimando em febre , e mal consegue comer.
-Justin , você tem que comer ! -Falei irritada.
-Não quero comer Sav. -Ele fazia drama,e biquinho.
-Jus, te juro que se você não comer eu vou pra casa e nunca mais falo com você. -Falei me levantando. Ele rapidamente se sentou e começou a comer .Eu ri, e fui arrumar o quarto onde eu estava dormindo.
-LIZZIE! -Ouvi Chris me gritar ,e tomei um susto com isso.
-OI CHRISTIAN -Gritei de volta colocando um casaco ,estava muito frio hoje .Mais do que o normal.
-CADÊ VOCÊ?? TENHO UM.. Oi! -Ele veio gritando até chegar no quarto que eu estava.
-Oi amor. -Sorri vendo ele.
-Tenho um presente pra você. -Ele sorriu animado. Eu ri um pouco da animação dele. -Toma aqui,mas só abre quando eu for pra casa ok ?  -Ele me pediu e eu assenti,colocando o presente dentro do armário.
-Chris, vê se o Justin ta bem, que eu vou fazer o almoço ok? -Pedi e ele assentiu e me deu um beijo na bochecha.
Fui pra cozinha e vi Caitlin no celular. Sorri pra ela e ela me deu língua e riu em seguida.
Fui pra cozinha fazer uma lazanha e macarrão, mas como sempre tem alguém pra me encher. E dessa vez era a "amiguinha" do Justin ,a Devveron.
-Oi, querida. -Ela falou cínica.
-Oque você quer garota? -Perguntei enquanto colocava a Lazanha no forno.
-Que você fique longe do meu Justin. -Falou TENTANDO ser ameaçadora.
-Por que ? -Perguntei irritada já. Perceberam que eu me irrito fácil ? Pois é.
-Porque ele é meu. Ele ME ama. Ele NUNCA ficaria com você. Sua vadiazinha de quinta categoria. -Ela falou chegando perto de mim. Eu a olhei cm desdém, e depois ri da cara dela.
-Fica com ele. Eu não ligo. Nós não temos nada ! -Falei virando as costas pra ela e pegando o macarrão. Ela sorriu e saiu da cozinha.
-CAITLIN VICTÓRIA BEADLES! -Gritei a chamando. Ela chegou na cozinha correndo ,e eu ri muito da cara dela de assustada. -Oi gata.
-LIANDRA EU VOU TE BATER! -Ela gritou vindo pra cima de mim e eu ri correndo dela .-Sua gorda! Oque foi?
-Devveron me enchendo a paciência. -Falei e ela riu forçada.
-Eu odeio ela. -Ela disse.
-Também! -Batemos as mãos e rimos. -Vou chamar os meninos pra comer. -Falei e ela apenas assentiu arrumando a mesa.
Subi pro quarto do Justin ,onde Christian estava e tive a pior visão da minha vida. Chris beijando Devveron ,e Justin dormindo, calmamente.
-CHRISTIAN! -Gritei irritada. Ele a soltou e me olhou assustado. -Eu não acredito que você fez isso!-Disse triste. Eu não o amo, mas nós namoramos mesmo assim. Ele também não me ama, mas nós nos gostamos muito.
-Lizzie...  Eu ... -Ele a empurrou pra longe e veio pra perto de mim, mas eu recuei.-Liandra me deixa te explicar.
-Explicar oque Christian ? Que você me traiu?  -Falei quase chorando.  Estávamos juntos a quase 3 anos.-Acabou Chris, acabou!-Falei baixo, e sai correndo daquele quarto .Cait me chamou mas eu continuei correndo. E correndo até parar no meio da rua, quando Justin me gritou. Eu o olhei e sorri, mas minha visão ficou escura, e meu corpo foi jogado longe.
A ultima coisa que eu me lembro ,é de Justin vindo correndo até mim, e gritando pra eu ficar acordada.
Justin Narrando
Lizzie brigou com o Chris enquanto eu estava dormindo .
Só isso que eu sei.
Corri para fora de casa,  e a vi parada no meio da rua.
-Lizzie !Cuidado ! -Gritei mas era tarde.  Ela fora arremessada uns 7 metros e eu corri, como se eu chegasse a ela e fosse a salvar.
-Liandra ! Fala comigo anjo , por favor . -Eu estava quase tendo uma coisa no meio da rua.
Liguei pra ambulância , e fiquei ali ate eles chegarem.
E é isso , a minha última lembrança dá minha pequena.
Ela entrou em coma , e não me deixam ver ela.
-Cait... -A chamei.
-Oi Drew . - Cait e Sav eram super agarradas, e Cait está muito triste com o que aconteceu.
- Ela vai voltar né ?-Perguntei esperançoso.
-Eu não sei .-Sussurrou.
Hahaha , será que a Sav vai sair dessa ? Beso beso Ana

30 de out de 2013

Losing Grip - Capítulo 17

Assim que entrei na mansão dei de cara com os dois subindo as escadas.

-Que bom que veio pra cá. –minha mãe deu um meio sorriso.

-Não pense que estou fazendo isso por vocês. –eu disse seca. –Eu faço isso pelo Justin, ele me pediu pra voltar. –dei uma pausa. –Ele é o único motivo de eu estar aqui.

Eles assentiram juntos com a cabeça e ambos continuaram a subir as escadas. Achei estranho. Pensei que ficariam furiosos por saberem que andei falando com Justin, principalmente minha mãe, mas se foi assim que agiram, melhor pra mim.

Quando entrei no meu quarto tive uma sensação estranha, fazia meses que eu não entrava ali. Algumas das minhas roupas ainda estavam no closet, e os mesmos enfeites no criado mudo. Peguei um porta-retratos com uma foto minha junto com a minha irmã e fiquei olhando. Eu sentia falta dela, ela sempre me protegia quando eu aprontava alguma e meus pais queriam me castigar. Me lembrei do dia em que matei aula e quando meus pais descobriram ela disse que era mentira do diretor, que eu estava com ela e não matando aula. Abracei o porta-retratos e o devolvi ao seu lugar. Me deitei na cama e acabei adormecendo.

Quando acordei no dia seguinte senti um aperto no peito tão grande. Eu estava com saudades de Justin, eu precisava dele perto de mim e eu tinha que descobrir onde ele estava na noite do acidente. E só tinha uma pessoa que poderia me ajudar.


-Brian, eu preciso falar urgentemente com você. –eu disse entrando em sua sala e o assustando um pouco.

-Olha quem apareceu. –ele disse irônico.- Justin veio com você? Vocês dois não aparecem na empresa há dias.

-Brian, o Justin ta preso. –disse seria. –E você é a única pessoa que pode me ajudar.

-Preso? –ele se assustou tanto que pensei que fosse cair pra trás. –Como assim preso?

-É uma longa história. –eu me aproximei e coloquei minhas mãos sobre a mesa. –Mas eu preciso que me diga onde ele estava há um ano atrás.

-Você ficou louca? –ele falou alto. –Eu não sei nem onde eu estava um ano atrás, quem dirá Justin.

-É importante. –eu olhei fundo nos seus olhos. –É o único jeito de soltar o Justin.

-Você tem pelo menos uma data?

-Sim. –respirei fundo. –Quatro de julho. Era um feriado importante, você deve se lembrar.

-Ele estava em Los Angeles, em uma conferencia da empresa. –ele franziu o cenho, parecia tentar se lembrar de mais alguma coisa. –Ele deveria voltar no feriado, mas o voo dele foi cancelado porque estava chovendo muito, então ele voltou no dia cinco.

-Brian, eu te amo. –fui até ele e lhe beijei o rosto. –Você tem alguma anotação disso. Sobre essa conferencia e quem esteve nela?

-Acredito que sim, Claire. –ele me olhou estanho. –Eu vou procurar alguma coisa. Isso vai tirar o Justin da prisão certo?

-Vai sim. –sorri.
Saí de lá me sentindo leve e aliviada. Eu já sabia que Justin não era culpado e agora eu poderia provar isso e tirá-lo de lá.

Cheguei à mansão praticamente pulando de alegria. Encontrei minha mãe que estranhou minha mudança repentina de humor.

-Por que está tão feliz, Claire? –ela perguntou.

-Justiça. Eu vou conseguir fazer justiça. –ela parecia não conseguir entender ainda. –Eu encontrei provas de que Justin não causou o acidente. Eu vou tirá-lo de lá mãe.

-Você encontrou o que? –ela praticamente gritou.

-Provas. –eu repeti. –Eu vou mostrar pra você e pra todo mundo que ele não é culpado.

-Você não podia ter feito isso,Claire. –ela começou a andar de um lado pro outro.

-Como não? –eu fiquei furiosa. –Ele é inocente, eu não o deixaria preso. E você aceitando ou não, eu o amo e vou protegê-lo.

-Claire, você não entende? –ela falou alto novamente. –Ele está preso pra sua segurança.

-Você acha que ele vai me machucar? –perguntei incrédula. –Você não o conhece.

-Não é ele que vai te machucar, Claire. –ela me olhou fundo nos olhos. –Foi ele que pediu pra ser preso. Ele está lá por você.
Minhas pernas bambearam e meu coração disparou. Como assim ele pediu pra ser preso?
                                                                          
                                                                               ...


Aí está o capítulo 17,sim ta pequeno, mas sinceramente eu nem ia postar. O que aconteceu? Minhas visualizações caíram pra menos da metade e meus comentários então nem se fala. Só porque agora tem outras meninas no blog vocês vão parar de ler e comentar o que eu posto?  Fiquei muito chateada e tava sem o mínimo ânimo pra escrever, só postei porque eu prometi que toda quarta teria capítulo novo. Me desculpem, mas se dessa vez acontecer isso de novo vou parar de postar, aí vocês passam a ler as novas IB’s. É isso, até o próximo, eu espero.

29 de out de 2013

Love Will Remember ,capítulo 4 - Havaí parte 1 + Devveron?

Liandra Narrando 

Havaí... Praia... Sol... Surf... Garotos gatos... Baladas...
EU AMO O HAVAÍ !!
Ok, chega. Tem 3 dias que estamos aqui. Férias baby u.u 
-Caitlin, eu vou... - Entrei no quarto , mas quem estava ali era Chris. -Hm, Christian ,viu a Cait?
Desde o dia que eu vi ele com a Devveronn, eu não falava com ele. Na verdade eu tenho muito nojo dele.
-Ela está no banheiro. -Ele não me olhou. Estava o tempo todo de costas pra mim.
-Ah,valeu. -Respondi e ia saindo do quarto quando ele me chamou. -Oque foi ?
-Podemos conversar? -Não deveria.
-Tá. -IDIOTA.
-Olha...eu sei que errei. - não me diga Christian.  -E sei que você não vai me perdoar assim tão fácil. -  e quem disse que eu vou ? - Mas eu não quero que nossa amizade acabe por isso. Então eu estou te pedindo para voltar a ser minha amiga ,e te pedindo perdão. Pois se eu não tivesse deixado ela me beijar você não teria sofrido aquele acidente. Me perdoa pequena ? -Ele veio chegando perto de mim ,e quando nossos lábios estavam quase se juntando Justin graças a Deus  apareceu me chamando ,e eu me afastei rapidamente do Christian.
-Lizzie,anda logo! Cadê a Cait? -Perguntou irritado. Ele queria ir logo pra praia, mas quando viu que Christian estava no quarto o olhou com uma cara não muito boa. Desde meu acidente eles tem brigado muito. -Oque ele está fazendo aqui Lizzie?
-Ele veio conversar comigo Drew, não precisa se estressar ok ? -Ele assentiu e me deu um beijo na testa, saindo do quarto.
Caitlin saiu do banheiro já pronta, e nós pudemos ir. Chaz estava na praia com Ryan e Justin. Os três jogavam vôlei ,e tinha umas garotas olhando eles. Cait começou a ficar vermelha de raiva ,e eu ri alto dela.
Raiva de que ? De uma loira que estava olhando pro Ryan, que estava distraído e acabou levando uma bolada na cabeça vinda do Justin.
-Calma Caitlin!  -Ela estava com a cara emburrada e fazendo bico ,e sim estava muito engraçado.
-Calma? CALMA? Ela está olhando pro meu namorado! -Mencionei que a Cait está namorando com o Ryan?
-É amor, mas quem é a namorada dele?  E quem ele ama? -Perguntei e ela riu falando que era ela. -Então deixa pra lá e vamos curtir!
Tirei o shorts que eu estava e a blusa também ,e fiquei tomando sol, até algum ser do capet* ficar na frente do sol.
-Dá pra sair do meu sol? -Perguntei. Estava de costas, e não via quem era. -Ein? -Me virei, e ele estava parado atrás de mim, com uma cara não muito boa . -Dá licença Jus!Eu quero pegar um sol! -Falei fazendo biquinho. Ele riu e saiu do sol
-Por que tem que ficar com a bunda pra cima Liandra ? Os caras passam te olhando. -Ele estava com ciúmes?  Que fofo!!
-Justin dá pra deixar ela tomar o sol dela? Você é muito besta cara! -Cait falou sem se quer o olhar. Ele riu e me deu um beijo na testa voltando pra jogar com os garotos.
Eu e Cait ficamos conversando por um tempo até vermos uma garota branca como neve passar com um biquini rosa RIDÍCULO e com quem ela estava? Christian.
-Eu.Não.Acredito. -Falamos juntas e com MUITA mas MUITA raiva deles.

Oie gatonaas !! 
Espero que gostem desse cap, e desculpem qualquer erro de pt :P tenho que estudar pro meu teste de ciências uuahsuahsuahu 
Enfim, amo vocês 
Beso Beso, Ana ;) #love #and #peace 
PS : 15 COMENTÁRIOS PRA EU CONTINUAR HEHE U.U #sou #má 

28 de out de 2013

2. This is love

“E mesmo que nada funcione eu estarei de pé, de queixo erguido.
- Pitty”

Savannah acordou apressada, não dormiu muito bem noite passada. Bateu no apartamento ao lado, sua amiga, Victoria, atendeu-a com a maior cara de sono, ainda estava de pijama, deixando bem claro que tinha acordado com o barulho da campainha.
— Sexy, porém, não pode trabalhar assim. — Savannah entrou no apartamento, já indo abrir a geladeira e pegando um suco de laranja.
— Não quero trabalhar hoje.
— Você já faltou ontem. — Pegou um copo e despejou um pouco de suco. Olhou para garota, que ainda estava parada perto da porta, ainda aberta. — Se quiser continuar morando sozinha, vai ter que trabalhar.
—Ele vai continuar a me pagar.
— Josh te pagou mês passado, pois eu falei que você estava passando mal e não podia sair de casa.
— Eu não estou bem! — Victoria bateu o pé, parecendo uma criança mimada. — Meu pai falou que se eu não voltar em menos de duas semanas para casa, ele não é mais meu pai, meu namorado me deu um pé na bunda e a minha mãe não quer atender as minhas ligações, será que você pode explicar isso para ele?
— Para de frescura! — Bebeu um pouco do suco, sua voz saiu calma e engraçada. — Sua mãe mora aqui ao lado, seu pai mora longe e sempre falou isso e seu namorado estava te traindo, acho até bom ele ter te dado um pé na bunda, ai você vai lá e corre pro Josh, ai ele não me joga cantada. — Victoria riu e logo foi para o quarto.
Elas entraram na cafeteria, Josh as olhou desapontado, chamou-as com a mão, as duas foram sem muita pressa.
— Oi, amorzão. — Brincou Victoria, já indo para o caixa.
— É bom saber que não desistiu do trabalho. — Josh passou a mão em sua bunda, Victoria deu-lhe um chute. — Hannah, eu vou precisar da sua ajuda.
— Para de me chamar assim! — Pediu Savannah, já colocando o avental cheio de estrelas. — O que você quer?
— Quero que fique na cozinha fazendo os bolinhos e biscoitos.
— Eu não sei fazer nada!
— Só para ajudar a Claire, a ajudante dela faltou hoje.
— Vou pedir para Victoria, eu fico no balcão e cuido do caixa.
— Tudo bem, eu vou comprar mais chocolate e já volto. — O rapaz deu um beijo em sua testa e logo saiu.
Justin entrou na cafeteria, não tinha muito tempo, tinha marcado com um amigo e não queria se atrasar por isso foi direto para fila o balcão, que não tinha muitas pessoas, apenas umas quatro.
Olhou para Savannah que estava perdida com as pessoas, já que a maioria estava estressada, pois estavam atrasados para alguma coisa. A vez de Justin chegou, Savannah sorriu quando o viu.
— O que deseja Sr.Estressadinho?
— Três bolinhos e quatro cafés.
— Bolinhos de que?
— Amora e chocolate.
— Dois de cada?
— Pode ser. — Justin a olhava, estava tão perdida. — Pra viajem.
— Tudo bem! Não apresse, por favor!
— Rápido, eu tenho que estar em outro lugar em 15 minutos! — Falava ele, tentando deixar a moça cada vez mais perdida.
— Sério?
— Não.
— Posso te pedir uma coisa?
— O que?
— Me ajuda?
— Com o que?
— Aqui
— Apenas com uma condição.
— Qual?
— Vai ter que ir ao jogo de basquete comigo.
— Odeio basquete.
— Quer a ajuda?
— Basquete é perfeito.
— Boa garota! — O rapaz passou para o outro lado do balcão, viu que a pequena fila já estava maior e Savannah perdia a linha, tentando pegar o dinheiro e fazer as coisas. — Savannah, vai para o caixa que eu cuido disso aqui.
— Consegue mexer nas maquinas?
— Sim.
— Certeza?
— Eu tento.

Eram três e meia, a loja já ia fechar e as pessoas já estavam indo embora, Savannah estava sorridente como sempre, Justin estava rindo de sua roupa toda melecada de chocolate.
— Desculpe por isso. — Pediu a garota, tentando limpar a camisa do rapaz.
— Fica tranqüila, isso não é nada.
 — Você está imundo.
— Hoje foi muito divertido.
— Você está imundo.
— Tenho sobremesa.
— O que?
— Vou lamber minha camisa.
— Que nojo.
— Vamos para o jogo?
— Odeio basquete.
— Tudo bem, eu vou deixá-la em casa.
— Não! Vamos para um parque de diversões, abriu ontem.
— Tenho um jogo para ir.
— Semana que vem.
— Deixe o parque para semana que vem.
— Ok…
— Quer que eu te leve?
— Preciso não, eu vou com o Josh.
— Eu quero.
— Não, vá para o seu jogo.
— Por favor.
— Tudo bem.

Justin parou o carro em frente ao prédio  de Savannah, a garota sorriu para ele e logo saiu do carro, correu para a recepção, ali parou e ficou conversando com o porteiro. Justin olhou os bolsos a procura do ingresso.

E ai gatas, como estão? Eu estou bem. Bom, estou muito feliz que estejam gostando, pois sinceramente eu pensei que não iriam gostar, já que a minha estória tem uma narração diferente e o enredo também, mas estão gostando, então, beijos. 
Carolina. 

Drummer Girl - capítulo 3

Acordei em um pulo hoje, mas um pulo bom. Animado. Diferente dos pulos de pesadelo. Eu estava feliz!
Desci as escadas, recebi um beijo estalado do meu maninho, e outro da minha mãe. Tinha como meu dia ficar melhor? Não. Eu sei.
(...)                                              
- Pudim – chamou-me. Sim, eu já tinha um novo apelido devido a... ahn... acontecimentos recentes.
- Não me chama assim. – bufei e cruzei os braços.
- Não tem como você brigar comigo hoje. – disse Chaz balançando as chaves do carro e erguendo as sobrancelhas.
- É só eu não ir o teste, ué. – menti. Até parece que eu ia desistir do teste.
- E dizer para sua mãe que o trabalho de três meses atrás foi cancelado?
Gelei. 
- Ela não ia me deixar fazer o teste. – disse encolhendo os ombros. – Ainda mais depois de eu ter sido expulsa da sala ontem.
- Uma mentira ou outra não faz mal a ninguém.
- Não foram uma. Foram duas. – disse me sentindo ainda mais culpada.
- O quê?
- Eu não disse que fui expulsa da sala.
- Então se você não disse você omitiu a verdade. Tecnicamente, isso não é uma mentira.
- Tem razão. – tentei parecer despreocupada, o que não deu certo. Os lábios franzidos me denunciavam.  
- Summer – passou o braço sobre meus ombros – foram só duas mentiras inofensivas. Depois você conta a verdade.
- Pode ser. – sorri.
Ficamos andando em silêncio.
- Mas em que lugar você estacionou esse carro? – indaguei já impaciente.
- Logo ali. – ele apontou para um...
- Fusca?! – ri fraco. – Sério?
- É. Melhor do que andar a pé.
Concordei com a cabeça e entrei no carro aconchegante. Não tinha cheiro de novo, mas tinha um cheiro bom...
Coloquei o cinto de segurança e liguei o rádio em seguida. Uma música desconhecida por mim estava tocando, era diferente de tudo que eu já tinha ouvido. Mas quando digo diferente, não quero dizer algo bom. Era meio... irritante.
 Tirando isso, o trajeto até a casa do “Justin” foi tranquilo. Essa cidade é pitoresca e apesar de tudo, simples. Quando minha mãe disse que iríamos para uma cidade pequena do Canadá julguei errado. Pensava que todas as pessoas se conheciam e que levavam torta para os vizinhos novos. Santa imaginação, tsc tsc...
Mas eu queria a torta.
- Chegamos! – disse Chaz bagunçando meu rabo de cavalo que levei tanto tempo para arrumar.
Tentei reparar o dano causado por ele.
- Summer, está bom. Vamos. – revirou os olhos castanhos.
Desci do carro e perdi o fôlego diante de tamanha beleza. A casa que eu encarava mais parecia um castelo. Era bege clara, tinha um jardim que estava totalmente florido. Era mais bonita do que a minha casa dos sonhos.
Ainda hipnotizada pela casa, Chaz me pegou pelo braço e me arrastou até a garagem. Eu meio que despertei. A garagem era uma... garagem. Apesar de estarmos no Canadá, aquela era uma típica garagem americana. Havia tralhas e tralhas por todo lado e em um canto os instrumentos da banda (um baixo, uma guitarra, um pedestal com microfone...), mais no centro estava duas baterias com um punk já posicionado em uma delas e uma bancada improvisada de três lugares para jurados, porém apenas dois lugares estavam preenchidos.
- Ta atrasado. – murmurou um garoto que usava topete. Óbvio que não era só isso que dava para ver, mas com certeza era isso que mais chamava atenção.
Além de seus olhos, que eram meio cor de mel e pareciam mudar de cor de acordo com a luminosidade.
- É a aula... – Chaz ia dizendo, porém o garoto o interrompeu.
- Chaz nós não temos tanto tempo. Senta sua bunda gorda aí e vamos começar.
- Boa sorte, pudim. – disse ele depositando um beijo na minha bochecha.
- Não me chama assim. – disse baixo tentando parecer brava.
- Ok. Pode se sentar ali e esperar. – apontou uma fila de gente que eu não tinha reparado. Esquisito. Também não tinha visto uma faixa enorme que pendia de um lado ao outro da garagem escrito “Bem-Vindo e Boa Sorte!”. Duplamente esquisito. 
- Vamos Chaz. – disse o garoto revirando os olhos em seguida.
Sorri para Chaz e fui para o fim da fila. Assisti a primeira apresentação, e concluí que aquilo ia demorar. Apenas uma bateria estava em uso, e ainda não entendi o por que da outra. Enfim, sentei no estilo indiozinho e senti um frio na barriga. Ansiedade quieta aí!
(...)
Justin narrando
 - Próximo. – chamei sem animação e me afundei na cadeira.
Já apareceu um garoto aqui que nem sabia segurar as baquetas. Já estava farto dessas apresentações ruins.  Mais do que isso, já estava ficando com raiva. A minha única esperança me fez montar uma bateria que dizia ser “especial” e nem sequer apareceu para o teste.
Senti uma cotovelada.
- Porra Chaz! – massageei o local.
- Justin é ela! – disse animado.
Arrumei-me na cadeira. Esperava ver tudo, até mesmo a Oprah, só não esperava ver alguém como ela. Quero dizer, ela era uma menina que se vestia bem, estava maquiada, provavelmente com as unhas feitas e o cabelo arrumadinho preso em um rabo de cavalo.
Meninas assim NÃO tocam bateria.
Antes que eu me pronunciasse, ela disse:
- Meu nome é Summer e eu vou tocar bateria para vocês. – sorriu abertamente, embora parecesse um pouco nervosa.
Devagar ela tirou dois objetos brilhantes e rosas de dentro da bota. De início eu não entendi o que era, e então ela começou a tocar. Eram baquetas. Eram BAQUETAS CINTILANTES!
A tal de Summer me surpreendeu, ela se transformou completamente. As suas mãos que pareciam tão frágeis, ficaram firmes e fortes. O cabelo tão arrumado ia se soltando de acordo com os seus movimentos. Ela tinha mais ritmo do que eu imaginava. Minha boca se abriu em um perfeito “O”, enquanto o Chaz me olhava com cara de “não-te-disse-que-ela-tocava-muito-bem?”. E, bem, ela tocava melhor do que muitos meninos. Eu me perdi em pensamentos, mas saí deles assim que ouvi uma batida fora do ritmo. E outra. E mais uma.
Não entendi que porra estava acontecendo, já que a menina a poucos metros de mim não parava de tocar e as batidas descompassadas não cessavam. Então compreendi tudo, ou melhor, vi tudo.
Na outra bateria, uma mais sofisticada, estava Zack. Ele batucava devagar, e ao que parecia não se sentiu culpado por atrapalhar a apresentação de outra pessoa.
Não fiquei tão aliviado de saber que ele tinha vindo e que eu não montei a bateria à toa. Naquele momento isso não importava mais.

Observei Summer e depois observei Zack. Parecia que um não notava a presença do outro, até que, devagar, Summer parou de tocar e se virou um pouco irritada para o garoto loiro.
Ferrou.

15 comentários 
Oioioi! Tudo bem?  Gente eu sei que eu sou nova aqui, e por ser nova eu quero MESMO saber se estão gostando. Espero que sim hehe. Por favor deixem nos comentários. Eu estive pensando... quem leu minha crônica aqui ? Vocês querem que eu poste periodicamente ou não? Me digam nos comentários!
Beijos
Audrey 

Love Will Remember, Capítulo 3 - 2 anos depois + Havaí

Justin Narrando  
Depois do acidente que Liandra sofreu, ela entrou em coma. 6 meses depois ,ela acordou ,mas foi por poucos minutos. Exatos 5 minutos.

Flashback on 

Eu mal dormia.Liandra não acorda ,e eu estou com medo do pior acontecer.
Estava quase saindo do quarto ,quando ouvi ela me chamar baixo.
-Liandra? -Sorri indo até ela ,mas ela estava cada vez mais fraca. Seus batimentos cardíacos estavam diminuindo. -Liandra,  fala comigo.
-Justin... -Ela sorriu. Pela última vez . -Eu te amo meu Drew. -Eu estava chorando muito ,e ela me pedia para não chorar, mas era impossível.
-Não pequena, por favor. -Pedia-a mas ela apenas balançou a cabeça.
-Adeus Drew. Diz pra Cait e pra Tia Ally que eu amo elas por favor .Eu te amo. -E assim como ela veio, ela se foi. Rápido, deixando meu coração quebrado novamente.

Flashback off

Depois desse dia, eu nunca mais fui o mesmo. Assim como quando ela foi morar com Allicia.

















HAAAAAAAAAAAA,PEGUEI VOCÊS U.U 
Vamos pro capítulo de verdade agora:



Liandra Narrando: 
Tem dois anos desde o meu acidente. Eu fiquei em coma por um ano e meio, e hoje,fazem 6 meses que eu acordei do coma.
Ainda moro com minha tia, mas com o dinheiro que eu tenho dos meus pais, e mais o dinheiro que eu guardo desde meus 12 anos ,eu estou quase comprando um apartamento perto da casa do Justin.
-Liandra !!! -Ouvi Cait me gritar.
-Fala amor! -Gritei de volta.
-Anda logo ! Vamos nos atrasar! - Ela entrou no quarto , e riu. -Quer ajuda gata ?
-Aceito. -Rimos juntas e ela me ajudou a arrumar minha mala, e nós fomos pro carro . Os garotos estavam nos esperando e riram de nós duas tentando colocar as malas no carro.
-Dá pra ajudar ? -Pedi a Ryan que assentiu e colocou as malas no carro.
-Vamos ? -Perguntei.
-YES ! - Todos gritaram, e Justin deu a partida para o aeroporto. Havaí aqui vamos nós !!
 Desculpem por estar pequeno , estou pelo cel e é mt ruim escrever por aqui. Beso beso Ana
 Ps::: 12 comentários pra eu continuar ein !! Hehe Amo vcs amores

27 de out de 2013

Kiss or Mischief - Capitulo 2



- Vai mesmo fazer isso? - Chaz me fazia a mesma pergunta pela décima vez.
- Sim, eu vou falar com ele - acho que vou. Acrescentei na minha cabeça. - Alias, preciso entregar essa folha para ele.
- Eles vão rir de você, Helena.
- Por que ririam? Eu só estou indo falar para ele que é melhor ser mais gentil.
- Ta, mas as garotas do colégio TODO o acham melhor assim. - Ele me olhou de cima a baixo. - Não são como você, elas... Preferem o cara mal. - Dizia Chaz olhando nos meus olhos.
- O problema é delas, não acha? - Chaz me olhou parecendo preocupado. Fomos para a quarta aula juntos já que seria a mesma.
  Eu queria falar com o tal Bieber, mas isso seria apenas na saída, não queria saber dele agora. Sobre a folha que eu teria que entregar para ele... Era uma lista sobre mim que ele havia pedido, mas não sabia como entregar aquilo.
- Lena. - Somers chamou me arrancando dos meus pensamentos.
- O que? - Perguntei sem olha-lo, ele sentava-se traz de mim.
- Não quero que vá falar com o Justin. - Dizia com uma voz séria.
- Eu vou falar com ele hoje, Chaz. Não tem motivos para não fazer isso. - Disse no mesmo tom de voz.
- Hoje não é o dia certo, ta? Só entrega essa folha e mais nada, você fala com ele depois. - Ele me virou em sua direção. - Você me entendeu? - Sua feição parecia brava, eu jamais o tinha visto assim antes em todos esses anos.
 O sino tocou e eu me levantei, virei-me para ele e disse: - Não tem motivos para que eu não faça isso, Chaz. Se tiver me de um.
 Eu já me preparava para sair, até ele me segurar pelo braço.
- Ouvi uma conversa, ele que fazer algo contra você. - Chaz também se levantou, colocou uma de suas mãos no meu rosto e, com a outra, pois uma mecha do meu cabelo para trás. - Ele já sabe que você o odeia e não suporta quando uma garota chega e não suspira por ele, Lena. Pare e pense direito, Bieber não é um daqueles garotos que gostavam de você no fundamental... Ele pode machucar você. - Eu estava apenas o olhando nos olhos e quando percebi que meu melhor amigo se aproximava para um beijo me desviei no ultimo minuto.
-  Chaz, eu já... Vou indo. Não... Se preocupe, tá? O que... Ele poderia fazer? - Fui me afastando dele. - Até mais tarde.
 Sai as pressas da sala de aula, fui para o vestiário e me troquei para a aula de educação física e avistei Stefhany e Lily na quadra.
- Por que demorou? - Perguntou Lily.
- Quando sai da sala Chaz estava com ela. - Stefhany deu um sorriso malicioso para mim.
- Estava na mesma sala que a gente? - Perguntei querendo ao máximo sair daquele assunto.
- Fiquei quieta a aula toda porque estava interessada no novo professor de artes, linda. - Sorri para ela. Ficamos jogando vôlei a aula toda enquanto Stefhany fala em como o novo professor era lindo, esquecendo completamente sobre ter me visto com Chaz.
 Depois que fomos liberadas eu me vesti e fui a procura de Justin Bieber. O vi parado perto de seu carro esporte no estacionamento.
- Justin. - Chamei fazendo-o olhar para mim.
- Terminou a lista? - Falou vindo ao meu alcance.
- Sim, - disse entregando a folha. - Mas também quero te pedir uma coisa.
- E o que é? - Perguntou ele levantando uma sobrancelha.
- Já que estamos fazendo este trabalho juntos, acho que você deveria ser mais gentil.
- Gentil como? - Ele perguntou se aproximando.
- Nã-Não sei. - Droga. Eu havia gaguejado e ele se aproximava cada vez mais.
 Aqueles olhos.
 Aquela boca.
 Aquele rosto.
- Posso mais ser gentil assim? - Ele perguntou já próximo o suficiente para que eu sentisse seu halito no meu rosto.
 Hortelã.
 Deveria ser esse o sabor da sua pasta de dentes.
 Ele colocou as mãos no meu pescoço e, num movimento rápido, beijou-me intensamente.
 Quando se afastou de mim, sorrio vitorioso.
- Tente me odiar agora, idiota. - E se afastou rindo até entrar em seu carro e dar a partida.


 Como vão Beliebers? Eu deveria ter postado na sexta, mas não deu e ontem tive problemas com lições de casa .-. Mas esta ai, o segundo capitulo da Kiss or Mischief :D
 Vocês estão mesmo gostando da fanfic? Tem tão poucos comentários :(
 Respondendo para quem perguntou: Sim, eu amo animes e mangás. Sou Otome do mesmo modo que sou Belieber.
 É isso, até o próximo.

6 COMENTÁRIOS? Pode falar mau, bem, dar sugestões, dicas... Aceito tudo.

By: Beatriz.

Confusão astronômica



Gosto de relacionar as coisas que gosto com as coisas que eu vivo. Se assistisse mais seriados, juro que faria citações que se encaixassem no meu dia a dia. Só que não tenho paciência para várias temporadas. Principalmente porque essas coisas passam de noite, e toda noite tenho um compromisso sério com as estrelas. Só to falando isso para você não achar que sou louca. Loucos não explicam suas loucuras, e eu faço. Eu até tentei escrever um poema daqueles cheios de decepção em forma de palavra. Não deu. Então pela última vez, escrevo o que aconteceu. Estamos todos perdidos no universo, cara. Mas não gosto de me imaginar como uma pequena célula no meio da imensidão. Sou mesmo um planeta. Um planeta pequeno, e digno de abrigar um Pequeno Príncipe e sua rosa. Até agora só recebi a visita de meteoros. Como você. Bonitos, porém de longe. Se encostar, se aproximar demais, aumenta a cratera do meu peito daquele outro meteorito. Aquela cratera que ainda não tinha sumido. Calma. Só dói se encostar. Não posso mentir: você extinguiu partes importantes de mim mesma. Como aquele asteróide extinguiu os dinossauros. Posso parecer louca, mas depois de uma decepção me regenero. Está tudo bem se me decepcionar, porque sempre serei outra depois disso. Está tudo bem, contanto que eu exista. Porque apesar de tudo, apesar desse universo maluco com estrelas cadentes e buracos negros, ainda observo as constelações. E ainda espero. Espero pelo dia que alguém e atinja, e formemos uma explosão. Como a do Big Bang. E assim criaremos um universo totalmente novo – e desconhecido.


Oi! Eu sou a Audrey (de drummer girl) e essa é uma das minhas crônicas. Escrevi faz um tempão, mas a Ally (vocês leram o post dela?) deixou que as novas moderadoras postassem um post alternativo, e bem, como essa é minha semana eu decidi postar esse. Sei que o formato é bem distinto das imagines e que isso não tem nada a ver com Justin, mas agora eu quero saber: o que acharam? Deixe nos comentários por favor ;)

26 de out de 2013

1. This is love

“Toda vez que você me olhar e me ver sorrindo,saiba que eu estou pensando em você.”
— Linkin Park”

Em pleno sábado, Justin estava sozinho na cafeteria, estava à espera da garota, queria encontrá-la, já que agora estava de bom humor, e não sabia o porquê, mas sentia sua falta. Estava prestes a ir embora, quando o sino da porta toca, Savannah entra, já tirando seu casaco, deixando a mostra o ridículo uniforme azul com vermelho. Pendurou o casaco e a bolsa e logo pegou uma bandeja, tendo apenas um bolinho de chocolate, não era para o Justin, mas ela passou em sua mesa.
— Bom dia, Justin. — Abriu um sorriso, era impressionante a mágica que ele fazia.
— Bom dia, Savannah. — Justin sorriu de uma forma fofa, mostrando todos os dentes, sentia-se leve.
— Espere só um minuto, que ai nós conversamos. — Correu com a bandeja a te uma mesa perto das estantes de livros, o bolinho foi coloca e logo a viu correndo para perto dele, ela tão sorridente, ele não deixava de lado a sua alegria ao vê-la. — Estou de volta. — A bandeja foi colocada em cima da mesa, Savannah se sentou logo a frente do rapaz.
— Estou vendo. — Ele sorriu.
— Olha, o estressadinho está melhor! Largou a faculdade?
— Larguei a menina com quem estava ficando.
— Deveria dizer eu sinto muito?
— Não gostava dela.
— Por quê?
— Ela só se importava com a roupa.
— Odeio garota assim! — Ela fez cara de nojo, Justin riu. — Na verdade, eu já fui assim, quase fali meus pais.
— E agora?
— Agora meu único objetivo é tirar uma foto perfeita do por do sol da praia.
— Qual praia?
— Qualquer uma.
— Posso te levar algum dia para passar as férias na casa do meu pai.
— Onde ele mora?
— Califórnia.
— Muito bom. Mora apenas você?
— Não, moro com alguns amigos.
— E sua mãe?
— Morreu.
— Sério?
— Sim.
— Como?
— Eu a envenenei. — Savannah deu um tapa em seu ombro. — Estou brincando, ela está vivinha, porém, viajando por ai.
— Por pouco eu não me levanto.
— Depois eu sou o estressado.
— Tem irmãos?
— Sim, dois.
— Mais novos ou mais velhos?
— Mais novos.
— Sempre quis ter irmão, mas minha mãe falava que a única coisa que eu ia ter era um coelho.
— E ganhou o coelho?
— Que nada, minha mãe só me enrolou e no final ganhei um hamister, que no final ela soltou no quintal.
— Por quê?
— Ela dizia que ele fazia muita bagunça.
— E fazia?
— Não.
— Você gostava dele?
— Ele era chato, só queria comer e dormir. — Justin olhou para o relógio. — Estágio?
— Acertou. — Ele sorriu e a deu um beijo na bochecha.
— Justin, toma um cartãozinho da cafeteria.
— Pra que?
— Não sei, mas se quiser, pode ligar. — Ela virou o cartão, seu numero estava lá.
— Ligarei.
— Esperarei.
— Ás onze?
— Noite?
— Sim.
— Estarei acordada.  — Justin colocou o dinheiro em baixo da caneca.

Savannah se deitou no sofá, assistia a um filme de ação que passava na televisão, não prestava muita atenção, estava concentrada no celular, marcava no relógio meia noite, não que ela estivesse esperando, apenas queria que ele mandasse uma mensagem.
E se eu falar que tentei te ligar umas três vezes hoje, você acredita? O estágio hoje estava corrido e nem uma ligação eu pude fazer.
— Justin
Pode parecer estranho, mas eu acredito.  
— Savannah
Ainda bem, não estou a fim de me explicar. Não te liguei agora, pois pensei que já estivesse dormindo, e não te ligarei, pois eu daqui a pouco vou dormir.
— Justin.
Você deveria ser mais gentil!
— Savannah
Eu acho tão fofo esse seu jeitinho de menininha, torna as coisas cada vez mais agradáveis.
— Justin
Justin, Justin, Justin, eu não sou garota para você gostar.
— Savannah.
Você é muito perfeitinha, Savannah.
— Justin
Você é muito complicado.
— Savannah
Não daríamos certo.
— Justin
Não mesmo!
— Savannah
Está com sono?
— Justin
Quase dormindo.
— Savannah
Um beijo enorme, bons sonhos.
— Justin
Uma ótima noite.
— Savannah
 Justin encostou a cabeça no travesseiro, escutava a comemoração por causa do jogo de basquete, mas não se moveu, ficou olhando para parede, pensando me vê-la novamente amanha. Estava meio bobo, porém, estava gostando da sensação.
Savanna,  quer ir a um jogo de basquete amanha?
— Justinh
Basquete? Nem pensar! Basquete me deixa estressada. Divirta-se
— Savannah.
Sai que horas amanha?
— Justin
Quatro da tarde, por quê?
— Savannah
Passarei para te buscar.
— Justin
Vai me levar para onde?

— Savannah


Olá tchucas, como estão? Estou ótima. Bom, acho que vocês viram que tem outra estória que a menina se chama Savannah (e tenho vários capítulos prontos, fica difícil mudar o nome), e em um comentário do meu post passado falou que as pessoas poderiam confundir, na minha opinião ninguém vai se confundir pois as estórias tem dois sentidos diferente e a minha narração é em narrador oculto (ou não personagem), mas, só pra não confundirem, todos os meus posts vão ter a minha assinatura, assim ninguém confunde.
P.S: Qualquer erro ortográfico me avisem, obrigada.
Mil beijos.
Carolina. 

Drummer Girl - capítulo 2

(...)
- Summer!  - pensei em me virar, porém não deveria ser comigo. Aqui ninguém deve saber quem sou...
Tudo bem, a quem eu estou tentando enganar? Quase quebrei meu pescoço assim que ouvi meu nome, avistei um garoto correndo em minha direção e balançando um papel rosa.
- Summer! – parou ofegante na minha frente.
- Oi? – respondi confusa.
- É esse seu nome, né? Não é Spring ou Winter...? – perguntou sério e depois riu.
Corei um pouco. Sempre tive insegurança em relação ao meu nome. Eu amo chocolate e nem por isso vou colocar o nome do meu futuro filho de “chocolat”! Quero dizer, minha mãe AMA o Verão e por isso colocou esse nome em mim. Vai entender...
- Summer. – estendi a mão. – Summer De La Rue.
- Summer... – refletiu um pouco - Legal o nome. – não entendi se ele estava me zoando ou se estava falando sério, portanto fiquei quieta.
- Summer – disse ele – você é tudo que eu preciso!
Ri tanto que minha barriga começou a doer. Se isso não é uma piada, eu não sei o que é. Quero dizer, ele é fofo!
- Não! – ele estava corado! Dá para acreditar? – Não foi isso que eu quis dizer.
- Sem problemas... – deixei a frase morrer. Nem sabia o nome dele.
- Chaz. – disse completando a frase.
- Sem problemas Chaz. - sorri.
- É só que... Eu faço parte de uma banda. – Chaz parou subitamente e eu gesticulei com as mãos para que ele prosseguisse. – E nosso baterista, Luke, foi para a Austrália. Nós estamos sem baterista e... – ele hesitou em continuar, como se já tivesse falado demais – É uma longa história. Lê isso, acho que é melhor. – me entregou o papel rosa que carregava com ele.
Li com atenção. Dizia que era um teste para baterista de uma banda. Informava o local, a hora e tinha uma foto meio escura dos prováveis componentes da banda (sabia disso porque Chaz estava lá junto com mais dois garotos) e um ponto de interrogação na cara do quarto componente. No final da pequena leitura já estava quase pulando de tanta animação. Todos poderiam fazer o teste, porém eu fui convidada pessoalmente e isso me fez ficar animada. Muito animada. Tocar em uma banda seria bom. Apesar de tudo.
- Só queria ter certeza de que você vai. Se você quiser, claro. É que você é... boa. – ele arregalou os olhos – Não foi isso que eu quis dizer. Quero dizer, você é boa na bateria, entende?! – ri com tamanho desespero. Eu havia entendido.
- Acho que vou sim.
- Tudo bem. – sorriu.
Logo o sinal para voltar às aulas tocou, e Chaz passou o braço em volta do meu ombro como se fôssemos velhos amigos. E daqui a alguns anos, tenho a sensação de que seremos.
(...)
- Ela é uma megera mesmo. – reclamou Chaz, bufando logo em seguida.
Deixe-me explicar a situação: fomos mandados para fora da classe. No meu primeiro dia aqui.
- Pelo menos veja pelo lado bom. – falei tentando ser um pouco positiva.
- Qual? – indagou Chaz.
- Não vamos assistir aula de História. – sorri, e então me veio à mente a imagem da minha mãe me dando o maior sermão. Gelei.
- É... – pensou um pouco – Peraí! Nós estamos sendo beneficiados por fazer bagunça?
- Nós? – perguntei rindo me lembrando da cena – Acho que era você que estava dançando em cima de uma mesa enquanto a professora não vinha. Como era o nome da dança mesmo?
- Funk. Achei na internet esses dias. – deu de ombros. – Mas ninguém mandou você ter uma crise de riso, ou sei lá, fazer cover de uma hiena.
- É. – concordei. – Mas agora me explica: por que raios você estava dançando aquilo?
- Me desafiaram. – respondeu como se fosse óbvio.
- E...
- Summer – sacudiu meus ombros – em que planeta você vive?! Quando te desafiam, você tem que fazer. É meio que uma questão de honra.
- Você se ferrou por causa disso. – lembrei-o.
- O negócio é o seguinte: se você não quiser ficar conhecido como um frouxo, você faz o desafio. E dane-se as consequências.
- Então ta né. – murmurei.
Ficamos fitando o vazio a nossa frente. Geralmente nesses momentos eu penso em tudo. Faço uma reflexão geral da minha vida. Mas hoje foi diferente. O negócio da banda não saía da minha cabeça.
- Quando que é o teste mesmo?
- O quê?
- O teste da banda. – repeti.
- Ah. Amanhã.
- Você vai ter que me levar.
- Você não tem carro?
- Não.
- Mas você tem um iPhone. – ri.
- E o que isso tem haver?
- Com o dinheiro dava para comprar um carro! – ri pelo nariz.
Minha mãe parece ter medo que eu dirija, não sei ao certo. Ela não me deixou tirar carta quando tinha 16 anos, mas prometeu que esse ano vai deixar. Ela acha que estou mais madura, mais responsável. Coisas de mãe. Ou pelo menos, coisas da minha mãe.
- É sério Chaz. Eu não tenho como ir, nem deu tempo de conhecer o bairro direito. Não faço a mínima ideia do local dos testes.
- Eu te levo. – suspirou entediado.
- Seu bobo. Você ama minha companhia.
- Tanto faz. – disse ele dando de ombros em seguida. Isso lhe rendeu um soco, mas releve.
Ficamos conversando até dar a hora da saída. Me despedi do Chaz com um sorriso no rosto.
Meu primeiro dia foi melhor do que eu imaginava, com toda a certeza.

(...) 

25 de out de 2013

Love Will Remember, Capítulo 2 - People Always Lie-Prévia

Lizzie Narrando 
Quando cheguei em casa, minha tia estava dormindo, então não a acordei.
Fui tomar meu banho e recebi uma mensagem do Ryan.

Oi gatinha
Oi Ry ,já já te respondo beijo

Entrei no banheiro, enchi a banheira e logo entrei na mesma. Coloquei uma musica pra relaxar ,e quando meus dedos começaram a enrugar, eu sai e me lavei retirando a espuma que ficou no meu corpo.
Coloquei uma roupa pra ficar em casa, e fui fazer a janta.
Assim que terminei de fazer a janta, Ryan me ligou.


Ligação Onn
Gatinha? É o Ryan! -Ele falou meio triste.
Oi Ryan! Oque houve? -Perguntei me sentando no balcão da cozinha.
Você tem que vir aqui ! Justin surtou,e está muito mal. 
Mas Ry, eu não falo muito com ele , por que quer que eu vá?
Ele está delirando! Ele está na cama dele, queimando em febre, e está chamando seu nome. Eu não sei o que fazer Lizzie
Me manda o endereço por sms que eu já estou indo. Vou trocar de roupa.
Tchau pequena.
Ligação Off

Corri pro meu quarto e troquei de roupa e peguei minhas chaves, deixando um pequeno bilhete para tia Ally.
 Tia,
tive que sair para ajudar um amigo,
volto amanhã, beijos Savannah 

Ryan me enviou a mensagem enquanto eu tirava meu bebê da garagem.
 Rua Machellis, casa 1256 
Vem logo por favor 
Fui pra lá o mais rápido que pude. Cheguei depois de 20 minutos, e o Ry abriu o portão pra mim.
Ele me levou até o quarto do Justin, que estava na cama, quase gritando meu nome.
-Lizzie ! -Justin falava dormindo. -Pequena vem aqui!Por favor!
Eu fui até a cama dele, e passei a mão no rosto dele, que suspirou.
-Justin, calma. Eu to aqui! -Falei baixo.
-Lizzie... -Ele foi se acalmando e se abraçou a mim. -Eu te amo. -Sussurrou.
Eu sorri quando ele disse isso ,e dei-o um beijo na testa.


Love Will Remember,capítulo 1- Fix My Heart

Liandra Narrando 

De manhã , como sempre, minha tia me chamou para ir para a Livraria.
Ótimo , estava atrasada pra ir ,e Chris iria ficar um pouco estressado comigo por me atrasar pra abrir.
Levantei , tomei meu banho , lavei meu cabelo , e coloquei uma roupa simples.

Desculpe , não me apresentei. Sou Liandra Drive , tenho 20 anos e moro em Stratford. Uma cidadezinha no interior de Ontário.

Tomei um café na cozinha ,como sempre sozinha .Tia Ally já tinha ido pra loja , para a abrir.
Corri com meu carro pra loja , e o estacionei rapidamente. Chris estava na porta , com um casaco preto , e com a cara emburrada.
-Chris? -O chamei. Eu estava a uns 5 passos dele .Ele me olhou , e sorriu doce. -Desculpe me atrasar.
-Tudo bem pequena. -Ele me deu um beijo na testa -Dormiu bem?
-Melhor que anteontem. -Sorri fraco. -Vai entrar?
-Não posso hoje. Estava apenas te esperando pra te dar bom dia. Tenho que ir pro trabalho. -Ele desmanchou o lindo sorriso que ele tinha no rosto olhando algo atrás de mim.  -Te adoro pequena , até mais.
-Tchau Chris .-Sorri acenando pra ele .Entrei na livraria e fiquei lá ,até umas 15 horas ,que é a hora que nós fechamos.
-Tia Ally ,eu vou na StarBucks ok? Já já estou em casa. -A avisei saindo da livraria .Entrei no meu carro ligando o rádio . Estava tocando "Smile" da Avril . Fui cantando-a até chegar na StarBucks.
Quando sai do carro ,vi um garoto entrando na mesma ,e por um momento achei ser Justin , mas logo tirei essa ideia da cabeça. Entrei na Stars, e vi Caitlin, minha única e melhor amiga ,junto de 4 garotos ,sendo que 2 eu conhecia muito bem.
Passei ao lado deles e fiz meu pedido .Um cappuccino e um croissant de chocolate. Cait me viu e sorriu abertamente vindo até mim.
-Oi amor! -Ela me abraçou forte,e eu fiz o mesmo. -Vem aqui!
-Oi anjo, deixa eu pegar minhas coisas aqui Cait. -Ela assentiu e esperou comigo.
Os dois garotos que eu falei que conhecia muito bem ,eram Justin, e Christian. Peguei minhas coisas e fomos até a mesa onde eles estavam.
-Ow Caitlin! Não vai nos apresentar sua amiga gata? -O loirinho disse com um sorriso malicioso nos lábios.
-Sai Chaz! Ela tem namorado! -Cait disse rindo. Chris me olhou e me deu um beijo na bochecha.
-Oi Lizzie. -Sussurou.
-Oi Chris. -Sorri. -Oi gente ,sou Liandra ,prazer. -Chaz levantou pra me abraçar e eu ri quando ele disse "você tem cheiro de brigadeiro menina!"
-Sou Ryan , prazer gata. -Ele me deu um beijo na bochecha e o único que não falou comigo foi o mal educado do Justin.
-Oi Drew. -Falei baixo. Ele me olhou assustado e depois sorriu.
-Oi pequena. -Me deu um beijo na testa e nós todos voltamos a conversar animadamente. Era a primeira vez em 8 anos que eu tinha amigos de verdade, sem ser a Cait.


Justin Narrando
Estava na StarBucks com a Cait e os caras ,até uma garota muito linda entrar na mesma ,com o celular na mão, olhar pra Cait, que sorriu para a mesma ,e foi falar com ela.
-Bieber? -Chris me chamou.
-Que? -Eu continuava a olhar a garota . Ela parecia a minha Lizzie .
-É ela. -Ele falou ,e eu quase me engasguei com o meu suco . -É a Lizzie cara.
Eu a olhei sorrindo ,e depois ela veio até nossa mesa ,com a Lizzie ,toda sorridente.
-Ow Caitlin! Não vai nos apresentar sua amiga gata? - Chaz disse com um sorriso malicioso.
-Sai Chaz!  Ela tem namorado! -Cait disse rindo .Meu coração apertou quando Cait disse isso .Chris olhou pra ela e deu-a um beijo na bochecha.
Ele sussurrou algo pra ela , que sorriu e disse "Oi Chris".
-Oi gente ,sou Liandra ,prazer .-Chaz levantou pra abraçar ela ,e ela riu quando ele falou que ela tinha cheiro de brigadeiro.
-Sou Ryan , prazer gata . -Ryan deu-a um beijo n bochecha , e eu fui o único a não falar com ela . Não conseguia.
-Oi Drew .-Ela disse tão baixo que eu quase não escutei .A olhei espantado por ela lembrar de mim ,e sorri em seguida.
-Oi pequena .-Dei um beijo na testa dela e voltamos a conversar
Depois de muito tempo conversando ,ela disse triste que teria que ir pra casa.
-Mas já ? -Ryan perguntou meio triste.
-Sim Ry. -Trocamos os números de celular e ela se foi com um sorriso no rosto.




E entãao?? Gostaram do primeiro capítulo ?
Desculpem qualquer erro de português,beijo beijo,Ana

Olá , Fic Love Will Remember

Olá beliebers  , tudo bem ?
Espero que sim.
Bem , meu nome é Ana.
Eu vou escrever uma Fic chamada Love Will Remember.




Sinopse : 
Liandra. Livros. Garota calada.Inteligente.1 amiga verdadeira.
Justin. Drogas. Bebidas.Máfia.Garoto Frio.3 amigos.1 amiga.Um coração partido.
Lizzie e Justin eram vizinhos aos 5 anos.Eles eram melhores amigos.Ele era apaixonado por ela.Ela era inocente e não pensava em amar alguém.
Quando Justin fez 16 anos e Liandra 15,os pais dela foram assassinados.A irmã dela desapareceu no mesmo dia.
Lizzie saiu da cidade.Foi morar com a tia.Ela nunca mais viu seu melhor amigo.
Justin teve seu coração partido quando descobriu que Liandra tinha um "namorado".Ele se envolveu com drogas.Começou a beber.Fumar.E quando fez 19, e seus pais foram mortos na frente dele,ele se envolveu com a máfia.
Depois de 2 anos,Justin é o maior mafioso de todo o Canadá.Enquanto Liandra, tem uma livraria com a tia,no interior do Canadá,na mesma cidade onde eles dois cresceram juntos.


Classificação : 18 anos.
Personagens principais : Justin Drew Bieber , Liandra Drive.
Personagens secundários : Chaz Somers , Ryan Butler , Chris Beadles , Caitlin  Beadles, Miles Stuart , Demi Lovato.
Com a participação especial de ::: Devveron Fernandez

Avisos : Violência , Sexo
Cada um sabe o que lê , então não venham falar besteira pra mim.



Bem gatinhas ,espero que gostem da minha Fic *----* Beijo beijo,com muito carinho pra vocês,Ana ;)